Paisagens
Paisagens
Pedras angulares A teologia visual da belezaQuem somosIgreja e CulturaPastoral da Cultura em movimentoImpressão digitalVemos, ouvimos e lemosPerspetivasConcílio Vaticano II - 50 anosPapa FranciscoBrevesAgenda VídeosLigaçõesArquivo

Vaticano

A última audiência geral de Bento XVI: espiritualidade e missão

Venerados irmãos no Episcopado e no Sacerdócio!
Distintas autoridades!
Queridos irmãos e irmãs!

Agradeço-vos terem vindo em tão grande número a esta minha última audiência geral. Obrigado de coração! Estou realmente tocado! E vejo a Igreja viva! E penso que devemos também dizer um obrigado ao Criador pelo belo tempo que nos dá, mesmo agora no inverno.

(...) Sinto no meu coração dever sobretudo agradecer a Deus, que guia e faz crescer a Igreja, que semeia a sua Palavra e assim alimenta a fé no seu Povo.

Neste momento o meu espírito alarga-se e abraça toda a Igreja espalhada pelo mundo; e dou graças a Deus pelas "notícias" que nestes anos do ministério petrino pude receber sobre a fé no Senhor Jesus Cristo, e da caridade que circula realmente no corpo da Igreja e a faz viver no amor, e da esperança que nos abre e orienta para a vida em plenitude, em direção à pátria do Céu.

Sinto trazer todos na oração, num presente que é o de Deus, onde recolho cada encontro, cada viagem, cada visita pastoral. Tudo e todos recolho na oração para os confiar ao Senhor: para que tenhamos plena consciência da sua vontade, em toda a sabedoria e inteligência espiritual, e para que nos possamos comportar de maneira digna dEle e do Seu amor, frutificando em toda a boa obra (cf. Colossenses 10,9-10).

Foto

Neste momento há em mim uma grande confiança porque sei, sabemos todos, que a Palavra da verdade do Evangelho é a força da Igreja, é a sua vida. O Evangelho purifica e renova, dá fruto onde a comunidade de crentes o escuta e acolhe a graça de Deus na verdade e na caridade. Esta é a minha confiança, esta é a minha alegria.

Quando, a 19 de abril de há quase oito anos, aceitei assumir o ministério petrino, tive a firme convicção que sempre me acompanhou: esta certeza da vida da Igreja a partir da Palavra de Deus. Naquele momento, como já expressei várias vezes, as palavras que ressoaram no meu coração foram: Senhor, por que me pedes isto e o que me pedes? É um grande peso aquele que pões sobre os ombros, mas se Tu mo pedes, sobre a tua palavra lançarei as redes, certo que Tu me guiarás, mesmo com todas as minhas fraquezas.

Foto

E oito anos depois posso dizer que o Senhor me guiou, foi-me próximo, pude sentir a sua presença todos os dias. Foi uma parte do caminho da Igreja, que teve momentos de alegria e luz, mas também momentos difíceis; senti-me como São Pedro com os Apóstolos na barca sobre o Mar da Galileia: o Senhor deu-nos muitos dias de sol e brisa leve, dias em que a pesca foi abundante; houve também momentos em que as águas eram agitadas e o vento contrário, como em toda a história da Igreja, e o Senhor parecia dormir. Mas eu sempre soube que o Senhor está naquele barca, e sempre soube que a barca da Igreja não é minha, não é nossa, mas dEle. E o Senhor não a deixa afundar; é Ele que a conduz, certamente através dos homens que escolheu, porque assim o quis. Esta foi e é uma certeza, que nada pode obscurecer. E é por isso que hoje o meu coração está cheio de gratidão a Deus porque nunca fez faltar a toda a Igreja, e também a mim, a sua consolação, a sua luz, o seu amor.

Foto

Estamos no "Ano da Fé", que eu quis para reforçar a nossa fé em Deus, num contexto que parece colocá-la sempre mais em segundo plano.

Gostaria de convidar todos a renovar a firme confiança no Senhor, a confiar-nos como crianças nos braços de Deus, certos que esses braços nos apoiam sempre e são o que nos permite caminhar todos os dias, mesmo na fadiga.

Gostaria que cada um se sentisse amado por aquele Deus que deu o seu Filho por nós e nos mostrou o seu amor sem limites.

Gostaria que cada um sentisse a alegria de ser cristão. Numa bela oração que se recita todas as manhãs, diz-se: «Adoro-te, meu Deus, e amo-te com todo o coração. Agradeço-te por me teres criado, feito cristão...». Sim, estamos felizes pelo dom da fé; é o bem mais precioso, que ninguém nos pode tirar! Agradeçamos ao Senhor por todos os dias, com a oração e com uma vida cristã coerente. Deus ama-nos, mas espera que também nós o amemos!

Foto

Mas não é só a Deus que quero agradecer neste momento. Um Papa não está sozinho ao leme da barca de Pedro, mesmo que seja a sua primeira responsabilidade.

Nunca me senti sozinho no levar a alegria e o peso do ministério petrino; o Senhor colocou-me ao lado de muitas pessoas que, com generosidade e amor a Deus e à Igreja, me ajudaram e me foram próximas.

Em primeiro ligar vós, queridos Irmãos Cardeais: a vossa sabedoria, os vossos conselhos, a vossa amizade foram preciosas para mim; os meus colaboradores, a começar pelo meu Secretário de Estado [cardeal Tarcisio Bertone], que me acompanhou fielmente nestes anos; a Secretaria de Estado e toda a Cúria Romana, bem como também todos aqueles que, nos vários setores, prestam o seu serviço à Santa Sé: são muitos os rostos que não aparecem, permanecem na sombra, mas no silêncio, na dedicação diária, com espírito de fé e humildade foram para mim um apoio seguro e confiável.

Foto

Um pensamento especial para a Igreja de Roma, a minha diocese! Não posso esquecer os Irmãos no Episcopado e no Sacerdócio, as pessoas consagradas e todo o Povo de Deus: nas visitas pastorais, nos encontros, nas audiências, nas viagens, apreendi sempre grande atenção e profundo afeto; mas também eu desejei bem a todos e a cada um, sem distinções, com aquela caridade pastoral que é o coração de todo o Pastor, sobretudo do Bispo de Roma, do Sucessor do Apóstolo Pedro. Todos os dias trouxe cada um de vós na oração, com o coração de pai.

Gostaria que a minha saudação e o meu agradecimento chegasse depois a todos; o coração de um Papa alarga-se ao mundo inteiro. E gostaria de expressar a minha gratidão ao Corpo Diplomático junto da Santa Sé, que torna presente a grande família das nações. Penso também em todos aqueles que trabalham para uma boa comunicação e agradeço-lhes pelo seu importante serviço.

Foto

Aqui chegado gostaria de agradecer de todo o coração também às muitas pessoas em todo o mundo que nas últimas semanas me enviaram comoventes gestos de atenção, de amizade, e de oração. Sim, o Papa nunca está sozinho, experimento-o agora mais uma vez de modo tão intenso que toca o coração.

O Papa pertence a todos e muitíssimas pessoas sentem-se muito próximas dele. É verdade que recebo cartas dos grandes do mundo - de Chefes de Estado, de líderes religiosos, de representantes do mundo da cultura, entre outros. Mas também recebo muitas cartas de pessoas simples que me escrevem simplesmente a partir de seu coração e me fazem sentir o seu afeto, que nasce do estar junto com Jesus Cristo, na Igreja. Estas pessoas não me escrevem como se escreve, por exemplo, a um príncipe ou a um grande que não se conhece. Escrevem-me como irmãos e irmãs ou como filhos e filhas, com o sentido de um laço familiar muito afetuoso.

Foto

Aqui pode tocar-se com as mãos o que é a Igreja - não uma organização, uma associação com fins religiosos ou humanitários, mas um corpo vivo, uma comunhão de irmãos e irmãs no Corpo de Jesus Cristo, que nos une a todos. Experimentar a Igreja desta forma e poder quase tocar as mãos a força da sua verdade e do seu amor é motivo de alegria, num tempo em que muitos falam do seu declínio. Mas veja-se como a Igreja está viva hoje!

Nestes últimos meses senti que as minhas forças diminuíram, e pedi a Deus com insistência, na oração, para me iluminar com a sua luz para me fazer tomar a decisão certa, não para o meu bem, mas para o bem da Igreja . Dei este passo na plena consciência da sua gravidade e também novidade, mas com uma profunda paz de espírito. Amar a Igreja também significa ter a coragem de fazer escolhas difíceis, sofridas, tendo sempre diante de si o bem da Igreja e não de si próprio.

Foto

Aqui permiti-me voltar mais uma vez a 19 de abril de 2005. A gravidade da decisão esteve justamente no facto de que a partir daquele momento ocupei-me sempre e para sempre pelo Senhor. Sempre - quem assume o ministério petrino deixa de ter privacidade. Pertence sempre e totalmente a todos, a toda a Igreja. A sua vida é, por assim dizer, totalmente tolhida da esfera privada. Pude experimentar, e experimento-o precisamente agora, que cada um recebe a vida quando a dá. Disse antes que muitas pessoas que amam o Senhor amam também o Sucessor de São Pedro e têm-lhe afeto; que o Papa tem verdadeiramente irmãos e irmãs, filhos e filhas em todo o mundo, e que se sente seguro no abraço da vossa comunhão; porque já não pertence a si mesmo, pertence a todos e todos pertencem a ele.

Foto

O "sempre" é também um "para sempre" - não é mais um regressar à privacidade. A minha decisão de renunciar ao exercício do ministério não revoga isto. Não regresso à vida privada, a uma vida de viagens, encontros, recepções, conferências e assim por diante. Não abandono a cruz mas permaneço de modo novo junto do Senhor Crucificado. Não levo mais a potestade do ofício do governo da Igreja, mas do serviço da oração; permaneço, por assim dizer, no recinto de São Pedro. São Bento, cujo nome levo como Papa, ser-me-á de grande exemplo nisso. Ele mostrou-nos o caminho para uma vida que, ativa ou passiva, pertence totalmente à obra de Deus.

Agradeço a todos e a cada um também pelo respeito e compreensão com que haveis acolhido esta importante decisão. Continuarei a acompanhar o caminho da Igreja com a oração e a reflexão, com aquela dedicação ao Senhor e à sua Esposa [Igreja], que procurei viver até agora todos os dias e que gostaria de viver sempre.

Foto

Peço-vos que me recordeis diante de Deus, e sobretudo que rezeis pelos Cardeais, chamados a uma tarefa tão importante, e pelo novo Sucessor do Apóstolo Pedro: o Senhor o acompanhe com a luz e a força do seu Espírito.

Invocamos a materna intercessão da Virgem Maria Mãe de Deus e da Igreja, para que acompanhe cada um de nós e toda a comunidade eclesial; a Ela nos entregamos com profunda confiança.

Queridos amigos! Deus guia a sua Igreja, sustem-na sempre e sobretudo nos momentos difíceis. Nunca percamos esta visão de fé, que é a única verdadeira visão do caminho da Igreja e do mundo. No nosso coração, no coração de cada um de vós, esteja sempre a alegre certeza que o Senhor está próximo, não nos abandona, é-nos próximo e nos envolve com o seu amor. Obrigado!

FotoAP Photo/Michael Sohn

 

Saudação em português

Amados peregrinos de língua portuguesa, agradeço-vos o respeito e a compreensão com que acolhestes a minha decisão. Continuarei a acompanhar o caminho da Igreja, na oração e na reflexão, com a mesma dedicação ao Senhor e à sua Esposa que vivi até agora e quero viver sempre.

Peço que vos recordeis de mim diante de Deus e sobretudo que rezeis pelos Cardeais chamados a escolher o novo Sucessor do Apóstolo Pedro. Confio-vos ao Senhor, e a todos concedo a Bênção Apostólica.

Foto REUTERS/Alessandro Bianchi

 

Foto REUTERS/Alessandro Bianchi

 

FotoREUTERS/Max Rossi

 

Foto Christopher Furlong | Getty Images News

 

 

 

Bento XVI
Trad.: Rui Jorge Martins
Fotos sem apresentação de créditos: News.va
Vídeo: Agência Ecclesia
© SNPC | 27.02.13

Redes sociais, e-mail, imprimir

Foto

 

Ligações e contactos

 

Artigos relacionados
Ler Bento XVI e João Paulo II à luz das suas biografias | IMAGENS |
Humildade: a encíclica de Bento XVI na hora da despedida
Bento XVI soube entrar, estar e sair
«O Senhor chama-me a subir ao monte, para me dedicar ainda mais à oração», diz Bento XVI
Beleza e verdade: Bento XVI concluiu último retiro de Quaresma enquanto papa
«O maior risco» do cristianismo é o da sua «exculturação»
Diretor da Faculdade de Teologia elogia ação de Bento XVI na conciliação entre fé e razão e na abertura à arte e cultura
Renúncia de Bento XVI: É «curioso» como «uma instituição em alegado declínio» merece as atenções do mundo
Lídia Jorge destaca «chamamento fraterno» que Bento XVI dirigiu «às pessoas da Cultura»
Cultura e diálogo com não crentes marcaram pontificado de Bento XVI, diz presidente do Pontifício Conselho da Cultura
Milhares agradecem a Bento XVI
Programa "Prós e Contras" debate resignação de Bento XVI
Bento XVI começa retiro da Quaresma com pregação sobre Salmos orientada pelo presidente do Pontifício Conselho da Cultura
Eduardo Lourenço: Bento XVI restituiu «o sentido e o esplendor da única eternidade que conta aos olhos de um cristão»
«Com Bento XVI reaprendi a ouvir e a reconhecer a voz da Igreja entre os pensadores e os artistas»
«Segredo» de Bento XVI para ser escutado fora da Igreja foi ter sabido dialogar e recorrer à razão sem se fechar nela, diz presidente da Comissão Episcopal da Cultura
Bento XVI e João Paulo II: decisões diferentes, a mesma fidelidade
Bento XVI abriu «novas perspetivas à relação do discurso católico com a modernidade», diz Francisco Assis
Obras de Bento XVI são «património inestimável para crentes e não crentes», diz Zita Seabra
Bento XVI desbravou «novas dimensões de diálogo estético e ético» e acentuou importância da arte na relação com Deus
Bento XVI presidiu à missa de Quarta-feira de Cinzas pela última vez enquanto papa | IMAGENS |
Próximo papa deve continuar «trabalho notável» de Bento XVI no diálogo da Igreja com a cultura, diz bispo de Bragança
«Qual a presença da Igreja no cinema? E na televisão? E nas fontes da cultura juvenil?», pergunta bispo auxiliar de Braga
Bento XVI e a Quarta-feira de Cinzas, princípio da Quaresma
Bento XVI: figura «ímpar» do pensamento que destruiu todos os preconceitos
Bento XVI: figura «ímpar» do pensamento que destruiu todos os preconceitos
Bento XVI: cronologia do pontificado
Como se elege o papa | IMAGENS |
Discurso de Bento XVI ao mundo da cultura, em Lisboa | IMAGENS |
Ação de Bento XVI fica marcada pela «renovação» da doutrina da Igreja «no diálogo com as diferenças», considera presidente do Centro Nacional de Cultura
Resignação de Bento XVI revela «grande amor à Igreja», diz diretor da Pastoral da Cultura
«O mistério está todo na infância»: o poema de José Tolentino Mendonça para Bento XVI
Bento XVI anuncia resignação
Bento XVI: 85 anos, 85 imagens

 

Página anteriorTopo da página

 


 

Receba por e-mail as novidades do site da Pastoral da Cultura


Siga-nos no Facebook

 


 

 


 

 

Secções do site


 

Procurar e encontrar


 

 

Página anteriorTopo da página