Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura
Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura

Dante em Portugal lido e comentado pela arte, cinema, literatura, teologia e ciência

Alberto Manguel, António Mega Ferreira, Henrique Leitão, Joaquim Sapinho e Rui Chafes são algumas das personalidades que entre o próximo sábado e 24 de novembro participam nos “Dias de Dante”, por ocasião dos 700 anos da morte do “sumo poeta”.

As intervenções decorrerão na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa, após a inauguração da exposição “Visões de Dante: o Inferno de Botticelli” e a conferência de abertura, “Todos somos chamados a construir visões. A ‘Divina comédia’ como pedagogia do olhar, pelo Card. José Tolentino Mendonça, agendadas para esta quinta-feira (cf. artigos relacionados).

“Dante. Um poeta do nosso tempo” é o tema do colóquio internacional previsto para 25 de setembro, que será aberto, às 10h00, pela reitora da Universidade Católica Portuguesa, Isabel Capeloa Gil, o embaixador da Itália em Portugal, Carlo Formosa, e o docente de Teoria da Literatura e escritor Miguel Tamen.

“Dante e a fé do leitor” (Albert Russell Ascoli, Universidade da Califórnia, Berkeley) e “Dante e Camões: o regresso à épica e os desvios da épica” (João R. Figueiredo, Universidade de Lisboa, um dos comissários dos “Dias de Dante”) são os temas da primeira mesa-redonda, das 10h45 às 12h30.

Das 14h30 às 16h30 será analisada “A intertextualidade bíblica em Dante: o caso das palavras-chave” (Paola Nati, Universidade Northwestern) e as “Geografias dantescas. Dante europeu” (Giulio Ferroni, Universidade de Roma, La Sapienza).

O colóquio, com tradução de italiano para português e de português para italiano, utilizando auscultadores levados pelo público, termina com a conferência “‘Supra te et non subter’: O humanismo bíblico da ‘Comédia’” (Carlo Ossola, Collège de France).

A exposição “Visões de Dante: o Inferno de Botticelli” inspira o ciclo “Imagens, música e palavras”, sempre às 19h00, que começa a 6 de outubro, com o tema “Pedro Hispano: Um papa português no Paraíso” (Henrique Leitão, José F. Meirinhos, Armando Norte).



Imagem [Círculo sétimo. O flagetonte e os centauros. A Divina Comédia, Inferno XII (det.)] | Sandro Botticelli | 1476-1500 | Biblioteca Apostólica Vaticana | D.R.


A 28 de outubro, Lucia Battaglia Ricci falará sobre “O Dante de Botticelli”, e no dia 2 de novembro António M. Feijó e Teresa Bartolomei (comissária dos “Dias de Dante”) refletem sobre “Dante e Ulisses. Do mito à modernidade”.

“O Inferno de Rui Chafes” estará no centro da conversa marcada para 3 de novembro, com Rui Chafes, Joaquim Sapinho e Paulo Pires do Vale.

No dia 10 de novembro apresenta-se o concerto “Música do tempo de Dante” (Ensemble Micrologus), e a 24 de novembro Alberto Manguel (Centro de Estudos da História da Leitura, Lisboa) profere a conferência “Ler a ‘Divina comédia’”.

Estão também previstas quatro “Lições sobre Dante”, sempre às 18h00, que começam a 27 de setembro, com “Dante. A memória importa”, por Lina Bolzoni (Scuola Normale di Pisa, New York University) e Alberto Manguel.

“Dante. Questões de língua” reúne, a 18 de outubro, Alberto Manguel e Pablo Maurette (Florida State University), enquanto Isabel Almeida (Universidade de Lisboa), Rita Marnoto (Universidade de Coimbra) e António Mega Ferreira discorrem, no dia 8 de novembro, sobre “Dante em Portugal”.

As “lições” concluem-se a 17 de novembro com “Dante em português: a tradução como desafio hermenêutico”, que conta com as participações de Jorge Vaz de Carvalho (Universidade Católica Portuguesa), Arnaldo Espírito Santo (Universidade de Lisboa) e Alexandra Lopes (Universidade Católica Portuguesa).

A comissão organizadora dos “Dias de Dante” envolve a Biblioteca Apostólica Vaticana, CECC (Centro de Estudos de Comunicação e Cultura), CITER (Centro de Investigação em Teologia e Estudos de Religião) – organismos da Universidade Católica Portuguesa -, Embaixada de Itália em Portugal, Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, Istituto Italiano di  Cultura di Lisbona e Fundação Calouste Gulbenkian.


 

Rui Jorge Martins
Publicado em 22.09.2021

 

 
Relacionados
Destaque
Pastoral da Cultura
Vemos, ouvimos e lemos
Perspetivas
Papa Francisco
Teologia e beleza
Impressão digital
Pedras angulares
Paisagens
Umbrais
Mais Cultura
Vídeos