Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura
Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura

Reconciliação

«Procurar reconciliação e paz implica uma luta dentro de si. Não é um caminho fácil. Nada de duradouro se constrói facilmente. O espírito de comunhão não é algo de ingénuo, é alargar o coração, é profunda benevolência, não escuta as suspeições.»

O Ir. Roger, fundador da Comunidade Ecuménica de Taizé, foi assassinado em 2005 por uma pessoa com perturbações mentais enquanto estava em oração. Queremos propor a sua figura doce e serena precisamente na abertura da Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos, que no hemisfério norte começa a 18 de janeiro, e fazemo-lo com estas suas palavras sobre a reconciliação.

É um dom necessário que S. Paulo, por exemplo, define com linguagem jurídico-matrimonial, a de dois esposos que reconstroem a sua ligação ferida.

Para nos encontrarmos, na sociedade e na Igreja, é decisivo o amor: isso não exclui a verdade e o debate de qualidades, mas torna-se o fermento indispensável para fazer reencontrar a unidade, o abraço, a partilha.

Para fazer isto, o Ir. Roger indica algumas opções: antes de corrigires os outros, corrige-te a ti mesmo; deves enveredar pela via da paciência e do trabalho constante; é importante alargar mente e coração, superando despeitos e obstinações; é preciso vencer a suspeição.

Este último compromisso merece um sublinhado. O escritor inglês setecentista Thomas Paine, na sua obra “Senso comum”, afirmava que «a suspeição é a companheira das almas mesquinhas». Faz-te estender a mão ao outro mas sempre com a reserva de ter pronta uma arma na outra.

Infelizmente, a vida moderna habituou-nos à desconfiança, e por isso o diálogo é sempre difícil e nunca totalmente sincero. As relações são pontuadas pela dúvida e até pelo medo. Sem sermos ingénuos, é todavia necessário «alargar o coração» e arriscar mais na generosidade.


 

P. (Card.) Gianfranco Ravasi
In Avvenire
Trad.: Rui Jorge Martins
Imagem: Ir. Roger | D.R.
Publicado em 17.01.2019

 

 
Relacionados
Destaque
Pastoral da Cultura
Vemos, ouvimos e lemos
Perspetivas
Papa Francisco
Teologia e beleza
Impressão digital
Pedras angulares
Paisagens
Umbrais
Mais Cultura
Vídeos