Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura
Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura

Palavras de crianças sobre o Natal de Jesus

Custa muito esperar pelo Natal quando se tem sete ou oito anos. Para algumas das milhões de crianças que aguardam pela data, o dia é mais do que presentes, doces e reencontros: é o nascimento de Jesus que lhe dá todo o sentido. As palavras simples de dez meninos e meninas testemunham-no.

«Em casa, ponho logo o Menino Jesus no presépio… Espero o dia 25 de dezembro. Até lá, tenho paciência… Por vezes, na minha vida, penso em Jesus, quando estou na minha cama. Ele dá-me força ou consola-me. Jesus vem para nos trazer a felicidade. É o nosso salvador.» (Théo, 8 anos)

«Nascer num presépio é divertido. No estábulo há animais, pastores. Está-se quente, sente-se protegido pelos pais. Não é como num hospital! Jesus é a felicidade. Ele está sempre connosco, mesmo quando se tem problemas, preocupações, quando não se tem dinheiro ou se está doente… É uma luz na nossa vida.» (Alexandra, 8 anos)

«No Natal faço presentes para àqueles de quem gosto, em sinal de boas-vindas e de amor… como os reis magos com Jesus. Quando penso em Jesus, penso no meu avô, que morreu há ano e meio. Sei que está na paz de Cristo. Às vezes, à noite, faço uma oração e peço a Jesus para cuidar bem do meu avô.» (Alice, 8 anos)

«Às vezes aborrece-me que Jesus nos conheça tão bem no fundo do nosso coração. Temos direito de fazer asneiras, quando se é criança! Mas dessa maneira, Ele pode ajudar a tornar-nos melhores. O Natal é o nascimento de Jesus, um dia importante para os pastores, para mim e para todo o mundo. Jesus traz-nos a paz.» (Robin, 7 anos)

«Jesus torna as pessoas gentis e mais felizes. Ele dá oportunidade mesmo a um ladrão. É corajoso por isso! As vezes em que mais penso nele é quando o papá e o meu irmão mais velho partem para o Líbano, onde vivem os meus primos e os meus avós. Jesus protege-os. No Natal, felizmente, estamos os quatro juntos, em família.» (Gaëlle, 8 anos)

«O mestre da gentileza é Jesus. Ser gentil quer dizer palavras e atos, como estar ao lado daquele que tem sede e dar-lhe de beber. No Natal, em família, há os presentes e, também, prepara-se um aperitivo: antes de colocar o Menino Jesus no presépio, colocamo-lo no meio de nós, sobre a mesa, e festejamos o seu nascimento.» (Faustin, 8 anos)

«Para a sua primeira Comunhão, a minha irmã recebeu uma Bíblia. Foi lá que eu descobri Jesus. Não sabia que Ele podia ser tão bom para os homens. Mas foi depois de ir à catequese que compreendi melhor quem era Jesus. Antes, pensava que era Deus; agora sei que é o Filho de Deus…» (Tiphaine, 8 anos)

«Jesus é um viajante. Ele quer juntar os homens para que não haja mais mal sobre a Terra, e para que ninguém seja deixado de lado. Ele veio ter junto dos homens na Idade Média, numa época em que havia muitas guerras. É quando olho o céu que penso em Jesus. Para mim, Ele continua vivo no céu, hoje.» (Benjamim, 8 anos)

«Antes do Natal, digo para mim muitas vezes, a propósito de Jesus: quem dera que Ele nasça! Porque é Ele que nos pode salvar, ensinando-nos a viver amando-nos. Desde este ano que vou à catequese. Fiquei muito surpreendido por aprender que, sendo à partida um simples bebé num presépio, Jesus possa fazer tantas coisas pelos homens.» (Paul, 8 anos)

«É quando faço coisas difíceis que penso em Jesus: por exemplo, uma avaliação de vocabulário, na escola! Felizmente, acredito que respondi bem, a última vez. A catequese interessa-me. Vou lá desde este ano. Sinto-me próxima de Jesus. Ele ajuda-me, guia-me e protege-me.» (Abigaïl, 8 anos)


 

In Le Pèlerin
Trad.: Rui Jorge Martins
Imagem: "Jesus abençoa as crianças" | Lucas Cranach, o Velho
Publicado em 17.12.2020

 

 
Relacionados
Destaque
Pastoral da Cultura
Vemos, ouvimos e lemos
Perspetivas
Papa Francisco
Teologia e beleza
Impressão digital
Pedras angulares
Paisagens
Umbrais
Mais Cultura
Vídeos