Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura
Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura

«Não pode nem deve haver oposição entre fé e ciência», sublinha papa

O papa congratulou-se hoje por ser uma diocese católica a promover o encontro internacional “A ciência para a paz”, que decorre hoje e amanhã na cidade italiana de Taremo, através de uma mensagem na qual reiterou que «não pode nem deve haver oposição entre fé e ciência».

«Nunca como neste tempo se sente a necessidade de um relançamento da investigação científica para fazer frente aos desafios da sociedade contemporânea», aponta Francisco.

São inegáveis a importância e necessidade da investigação, mas deve ter-se sempre presente que «nenhum saber científico deve caminhar isolado e sentir-se autossuficiente».

Também neste sentido da recusa de guetos, «a investigação científica deve colocar ao serviço de todos os seus conhecimentos, buscando sempre novas formas de colaboração, de intercâmbio de resultados e de construção de redes».

«A realidade histórica é cada vez uma só, e há que a servir com a pluralidade dos saberes, que na sua especificidade contribuam para o crescimento de uma nova cultura capaz de construir a sociedade, promovendo a dignidade e o desenvolvimento de cada homem e de cada mulher», assinala.

Francisco insistiu numa das preocupações centrais da Igreja quanto à ciência – as suas consequências na imagem e conceção do ser humano, realçando que é preciso ter em conta «as repercussões antropológicas ligadas à convivência social e à qualidade das relações entre os membros da família e, sobretudo, entre as gerações».

Depois de pedir aos participantes para acompanhar a formação das novas gerações, «ensinando-as a não ter medo do esforço da investigação», o papa afirmou que Cristo «infunde em todos a certeza de quando se procura com honestidade, encontra-se a verdade».

«A mudança de época necessita de novos discípulos do conhecimento, e vós, queridos cientistas, sois os mestres de uma nova geração de construtores da paz», declarou Francisco, antes de concluir com uma certeza: «Asseguro-vos, estou próximo de vós, e toda a Igreja está próxima de vós, com a oração e o encorajamento».

A iniciativa, que começou esta manhã com as intervenções do bispo da diocese de Teramo-Atri e da ministra das Universidades e Investigação, termina com a celebração do “Jubileu dos Cientistas”.

Ondas gravitacionais, astronomia, matemática, caminhos para a sustentabilidade através da dieta alimentar, o impacto ecológico da obesidade, segurança alimentar, medicina regenerativa e vacinação são alguns dos temas do encontro.


 

Rui Jorge Martins
Fonte: Sala de Imprensa da Santa Sé
Imagem: JanPietruszka/Bigstock.com
Publicado em 02.07.2021

 

 
Relacionados
Destaque
Pastoral da Cultura
Vemos, ouvimos e lemos
Perspetivas
Papa Francisco
Teologia e beleza
Impressão digital
Pedras angulares
Paisagens
Umbrais
Mais Cultura
Vídeos