Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura
Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura

Música: “Ave Regina coelorum”

A obra que apresentamos na solenidade da Imaculada Conceição da Virgem é de um maestro pouco conhecido, mas não deixa de ser soberba, tipicamente barroca, com as sonoridades majestosas a que aquele período musical nos habituou.

Rupert Ignaz Mayr (1646-1712) foi um compositor alemão nascido em Schärding. Destacou-se também por ser um extraordinário violinista, instrumento que se aprecia nas suas composições, como a que aqui propomos.

Entre os vários trabalhos que o ocuparam, passou pela corte de Munique, em 1683. O príncipe-eleitor cedo apreciou o seu valor e talento, tendo-o enviado para estudar em Paris. Em 1706 mudou-se para Freising, onde continuou a escrever música religiosa e de câmara, a par de pequenas óperas.

Apesar de todas as influências, começando pela francesa, a música de Mayr permaneceu italiana e inspirada pelo século XVII.



Quem conta verdadeiramente na história? Quem mora num palácio? Herodes será recordado apenas porque tentou matar aquele Menino; Pilatos porque o condenou. Conta verdadeiramente quem se deixa habitar pelo sonho de Deus, pela sua Palavra



Escutamos hoje “Ave Regina coelorum”, composta para alto, violino e baixo contínuo, publicada em 1681. Percebe-se, nesta peça, porque é que Mayr foi um mestre do violino, que assume o protagonismo, em vez da voz humana.

A peça começa com uma extensa sinfonia em forma de prelúdio para violino e baixo contínuo. Depois dela, a voz ocupa o primeiro lugar, mas como imitação dos embelezamentos do violino. Ambos dialogam, para não dizer que competem.

Outro interlúdio a cargo do violino dá lugar à estrofe da antífona “Gaude, Virgo gloriosa). De novo a voz emerge a imitar o instrumento. A peça termina com especial alegria e emoção.

A interpretação é de Ida Aldrian (alto) e do Ensemble Castor.


Imagem Programa | D.R.







 

Jose Gallardo Alberni
In Periodista Digital
Trad.: Rui Jorge Martins
Imagem: "Inmaculada Concepción" (det.) | Diego Velázquez | C. 1618 | National Gallery, Londres, Reino Unido
Publicado em 08.01.2019

 

 

 
Relacionados
Destaque
Pastoral da Cultura
Vemos, ouvimos e lemos
Perspetivas
Papa Francisco
Teologia e beleza
Impressão digital
Pedras angulares
Paisagens
Umbrais
Mais Cultura
Vídeos