Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura
Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura

Futebol feminino do Vaticano deu pontapé de saída

A equipa de futebol feminino da Santa Sé, formada por colaboradoras, mulheres e filhas de pessoal ao serviço do Vaticano, e funcionários do hospital Bambino Gesù, disputou este domingo a primeira partida oficial, contra a Roma.

«Começar contra uma equipa tão forte não foi fácil, mas o importante era precisamente iniciar, principiar esta iniciativa fantástica», declarou o treinador, Gianfranco Guadagnoli.

Para Francesca Stoppa, uma das jogadoras, médica de reanimação no hospital, o desafio de 40 minutos, 20 para cada tempo, transmitiu a mensagem de «cada um pode jogar, ainda que o futebol seja visto muito mais como um desporto masculino e só para quem é habilidoso».

«Nós somos a prova de que é possível divertir-se, inclusive a nível amador, e convidamos todos a vir e a ver-nos», afirmou.

Federica Di Lorenzo, outra atleta, sublinhou a importância «de veicular o conceito de que as mulheres, também no desporto, podem dar muito, e por isso é importante que o Vaticano tenha igualmente uma equipa feminina».

A prática de futebol de onze feminino no Vaticano remonta a 2018, quando, por ocasião da festa das famílias dos colaboradores da Santa Sé, decorreu a primeira partida feminina da modalidade na cidade-estado.

«O nosso objetivo é criar momentos de sociabilidade livre, para lá da família, para lá dos trabalhos e dos esquemas clássicos. O papel do desporto é o de romper estereótipos e demonstrar o exato contrário daquilo que as pessoas muitas vezes pensam. Para além da surpresa inicial pela iniciativa, nunca encontrámos no Vaticano qualquer reticência, ao contrário, todos apoiaram e encorajaram a iniciativa», explicou o criador da equipa.

Danilo Zennari diz que desde que começou a trabalhar no Vaticano, há 22 anos, o número de mulheres a colaborar na Santa Sé mais do que duplicou – a proporção é de uma para quatro homens –, o que justifica a organização, a nível feminino, de treinos e de jogos, seguindo o exemplo dos torneios masculinos, que começaram há 47 anos.

A equipa de equipamento amarelo e branco, as cores da bandeira da Santa Sé, vai participar pela primeira vez num torneio fora dos muros do Vaticano, a 22 de junho, em Viena.

O resultado do primeiro jogo oficial será, talvez, o que menos interessa, mas aqui fica: 10-0, para a equipa da Roma.


 

Rui Jorge Martins
Fonte (texto e imagem): Vatican News
Publicado em 27.05.2019

 

 
Relacionados
Destaque
Pastoral da Cultura
Vemos, ouvimos e lemos
Perspetivas
Papa Francisco
Teologia e beleza
Impressão digital
Pedras angulares
Paisagens
Umbrais
Mais Cultura
Vídeos