Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura
Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura

De Mozart a Vangelis, caminhos para o Paraíso

O caminho para o Paraíso está calcetado de esplendidas músicas, que ao longo dos séculos acompanharam celebrações litúrgicas e criações artísticas, fascinando ouvintes em todo o mundo.

Com o disco "In Paradisum", a Schola Cantorum da Escola Cardinal Vaughan, de Londres, dirigida por Scott Price, compaginou uma espécie de "best of" do repertório alusivo ao "Céu", recolhendo algumas das páginas mais famosas, com incursões surpreedentes entre obras originais, transcrições e bandas sonoras cinematográficas.

De "Ave Maria" a oito vozes de Victoria ao "Miserere" de Allegri, do "Crucifixus" de Lotti ao "Ave verum corpus" de Mozart, passando pelo "Christus factus est" de Bruckner e o "In paradisum" (o trecho final do "Requiem" de Fauré), para chegar às instâncias criativas contemporâneas representadas por "Seek him that maketh the seven stars", de Jonathan Dove (n. 1959) ou "Lux aurumque", de Eric Whitacre (n. 1970).

A estes juntam-se alguns temas célebres de bandas sonoras, como "Conquest of Paradise", de Vangelis (do filme homónimo de Ridley Scott) ou "In dreams", de Howard Shore (do "Senhor dos aneis"), e, por fim, "The beatitudes", uma transcrição na transcrição: a celebérrima do compositor Remo Giazotto sobre o presumido "Adagio" de Tomaso Albinoni, aqui adaptado numa versão vocal sobre o texto do "Discurso da montanha" de Jesus.

Desde há quase cem anos que a Schola Cantorum se tem empenhado a promover e difundir a excelência da tradição, a perfeição do canto e a descoberta de novos repertórios, ainda que o seu papel principal permaneça o de garantir o aparato musical para a liturgia católica.

Este disco procura capturar a energia e variedade da vida artística e religiosa desta prestigiada instituição coral, explorando os múltiplos reflexos desse instrumento de extraordinária beleza que é a voz, coma sua aparente fragilidade que sabe perfeitamente como transformar-se em enorme potência expressiva.









 

Andrea Milanesi
In Avvenire
Trad.: Rui Jorge Martins
Imagem: Capa | D.R.
Publicado em 29.01.2021

 

 

 
Relacionados
Destaque
Pastoral da Cultura
Vemos, ouvimos e lemos
Perspetivas
Papa Francisco
Teologia e beleza
Impressão digital
Pedras angulares
Paisagens
Umbrais
Mais Cultura
Vídeos