Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura
Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura

Conselho Pontifício da Cultura coorganiza congresso com diretores executivos da Moderna e Pfizer

Os líderes de duas das maiores farmacêuticas norte-americanas que desenvolveram vacinas contra o coronavírus estão entre os mais de 115 participantes na conferência “Unidos para prevenir e unidos para curar”, que o Conselho Pontifício da Cultura coorganiza entre quinta-feira e sábado, 6 a 8 de maio, através da internet.

A iniciativa em torno aos avanços da tecnologia na medicina contará também com a intervenção de Anthony Fauci, o principal conselheiro do presidente Joe Biden para o combate ao Covid-19 e diretor do Instituto Nacional para as Alergias e Doenças Infeciosas, e terminará com uma mensagem aos participantes dirigida pelo papa Francisco.

O responsável declarou que está honrado por fazer parte do encontro, e fez votos de que o colóquio facilite os ensinamentos aprendidos durante a pandemia, «de maneira a preparar a resposta a futuras doenças infeciosas» e ameaças à saúde pública.

Fauci, que falará após a declaração de boas-vindas proferida pelo presidente do Conselho Pontifício da Cultura, Card. Gianfranco Ravasi, adiantou que a sua conferência sublinhará a importância de «um novo esforço global, global e em cooperação, de cientistas, indústria e parceiros comunitários».



Cientistas, líderes religiosos, especialistas em ética, legisladores, filantropos e influenciadores estão entre os convidados de um encontro que visa explorar e aumentar a colaboração interdisciplinar em ordem aos avanços na medicina



«Temos de trabalhar juntos para desenvolver os diagnósticos, tratamentos e vacinas que são urgentemente necessárias para aliviar a dor, o sofrimento e a dor que estamos a ver à nossa volta», vincou.

Na iniciativa " "Explorando a mente, corpo e alma. Unidos para prevenir e unidos para curar", organizada pela quinta vez e coorganizada pelas fundações Cura e Ciência e Fé, participam personalidades conhecidas do universo mediático dos EUA, como os médicos Sanjay Gupta and Mehmet Oz, assim como Joe Perry, guitarrista da banda de rock Aerosmith, e a modelo e empresária Cindy Crawford.

Cientistas, líderes religiosos, especialistas em ética, legisladores, filantropos e influenciadores estão entre os convidados de um encontro que visa explorar e aumentar a colaboração interdisciplinar em ordem aos avanços na medicina.

À semelhança das edições anteriores, o programa inclui debates sobre a relação entre ciência e fé, focada nos aspetos comuns e convergências entre a religião e espiritualidade e a saúde e o bem-estar, assim como nas relações entre mente, corpo e alma.



Prevê-se que os participantes destaquem o interesse, em contexto de investigação e tratamento, da empatia e da compaixão, a par das implicações morais relativas aos avanços tecnológicos, nos quais se incluem as consequências da inovação na antropologia



“Religião e a pandemia”, “A ligação entre o cancro e a doença cardiovascular”, “A interseção da antropologia com a neurociência”, “A música pode tocar o coração?”, “Somos o que comemos”, “Unidos para prevenir o cancro”, “Antropologia do envelhecimento” e “Prestação de cuidados” são alguns dos painéis apontados para o primeiro dia.

Na quinta-feira os convidados refletem questões como doença mental, toxicodependência, «a epidemia da solidão», medicina fora do hospital, «construir um sistema de saúde para todos mais equitativo”, “inspirar esperança nas crianças”, diabetes, doenças raras, medicina regenerativa, “viver com saúde até aos 120 anos e para além” e “como definir a alma”.

A agenda do último dia, que compreende a intervenção do secretário de Estado da Santa Sé, cardeal Pietro Parolin, abrange temas como a telemedicina e a monitorização remota, ética da inteligência artificial, e o desenvolvimento da saúde através do trabalho missionário.

Prevê-se que os participantes destaquem o interesse, em contexto de investigação e tratamento, da empatia e da compaixão, a par das implicações morais relativas aos avanços tecnológicos, nos quais se incluem as consequências da inovação na antropologia.


 

Rui Jorge Martins
Fontes: Conselho Pontifício da Cultura, National Catholic Reporter
Imagem: DragosCondrea/Bigstock.com
Publicado em 05.05.2021

 

 

 
Relacionados
Destaque
Pastoral da Cultura
Vemos, ouvimos e lemos
Perspetivas
Papa Francisco
Teologia e beleza
Impressão digital
Pedras angulares
Paisagens
Umbrais
Mais Cultura
Vídeos