Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura
Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura

Visita guiada a igrejas modernas evoca arquiteto Agostinho Ricca

Imagem Igreja de S. João de Ver | Fotografia: João Paulo Coutinho | D.R.

Visita guiada a igrejas modernas evoca arquiteto Agostinho Ricca

João Alves da Cunha, membro do Grupo de Arquitetura do Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura, é um dos organizadores do dia de visitas a igrejas modernas na diocese do Porto, agendado para 20 de junho.

«Esta visita é a terceira a ser organizada por um grupo de vários jovens arquitetos particularmente interessados na temática da arquitetura religiosa contemporânea», explica o responsável, que é acompanhado na organização por Madalena Rodrigues e João Luís Marques.

O programa, integrado nas comemorações do centenário do nascimento do arquiteto Agostinho Ricca, inclui a visita a duas das quatro igrejas por ele projetadas: complexo paroquial de Nossa Senhora da Boavista (Porto, 1974-99) e santuário de Santo António (Vale de Cambra, 1986-93), encomendas das décadas de 1970 e 1980, respetivamente.

«São obras de excelência de um autor cujo percurso ímpar ressalta no panorama da renovação da arquitetura religiosa moderna realizada em Portugal na segunda metade do século XX, veja-se a mestria com que controlou toda a unidade da obra.»

A agenda compreende a visita a outras obras de arquitetura religiosa moderna na diocese do Porto que antecederam aquelas encomendas, tendo-se privilegiado «património diversificado e pouco conhecido que testemunha a participação da Igreja na construção da cidade».

«A expressão dos edifícios e a natureza dos programas espelham novos entendimentos sobre o lugar da igreja na urbe. São obras idealizadas por arquitetos formados nas Belas Artes do Porto que, com a obra sonhada e construída, conquistaram a modernidade para a arte ao serviço da Igreja», acentua o arquiteto investigador João Luís Marques.

Na periferia e no centro da Cidade Invicta serão percorridos projetos de Fernando Távora (igreja de S. João de Ver, 1959-2008), Álvaro Siza (centro paroquial de Matosinhos, 1956-59), Luís Cunha (centro de caridade Perpétuo Socorro, Porto, 1964-73) e Fernando Abrunhosa de Brito (seminário da Boa Nova, Valadares, 1967-69).

As visitas começam às 9h30, junto da igreja Nossa Senhora da Boavista, na Rua Azevedo Coutinho (Foco). A inscrição, no valor de 25 euros, inclui transporte e almoço no Seminário de Valadares. Está também prevista a possibilidade da inscrição apenas nas visitas, sem transporte e almoço (15 euros).

O roteiro regressa à igreja de Nossa Senhora da Boavista, onde às 21h30 decorre uma conferência, com entrada livre, em torno de Agostinho Ricca e do complexo paroquial da Boavista, proferida pelos arquitetos João Alves da Cunha, Helena Peixoto e João Luís Marques.

Na primeira edição desta iniciativa foram conhecidas, entre outras, as igrejas projetadas por João de Almeida (Paço de Arcos, 1969), Pedro Vieira de Almeida (Brandoa, 1989), Miguel Pimentel (Carnaxide, 1995) e Roseta Vaz Milheiro (Galiza, Cascais, 2009), enquanto que em 2014 foram visitadas igrejas concebidas para a região do Oeste entre 1975 e 1995, como as recuperações e ampliações realizadas pelos arquitetos Diogo Lino Pimentel e António Flores Ribeiro (Runa, 1975 e Ramalhal, 1983).

ImagemCartaz (det.) | D.R.

Rui Jorge Martins
Publicado em 11.06.2015

 

 

 
Imagem Igreja de S. João de Ver | Fotografia: João Paulo Coutinho | D.R.
São obras de excelência de um autor cujo percurso ímpar ressalta no panorama da renovação da arquitetura religiosa moderna realizada em Portugal na segunda metade do século XX, veja-se a mestria com que controlou toda a unidade da obra
Relacionados
Destaque
Pastoral da Cultura
Vemos, ouvimos e lemos
Perspetivas
Papa Francisco
Teologia e beleza
Impressão digital
Pedras angulares
Paisagens
Umbrais
Evangelho
Vídeos