Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura
Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura

Papa expressa apoio a ação de padre junto de pessoas LGBTQ

«O nosso Pai do Céu aproxima-se com amor de cada um dos seus filhos, a todos e a cada um. O seu coração está aberto para todos e a cada um. É Pai.»

Este é um excerto da carta redigida pela mão do papa ao padre norte-americano James Martin, no contexto do curso pela internet “Outreach LGBTQ Catholic Ministry”, por ele orientado neste sábado, contando com cerca de mil participantes.

«Quero agradecer-te o teu zelo pastoral e a tua capacidade de estar próximo das pessoas, com essa proximidade que Jesus tinha e que reflete a proximidade de Deus», começa o papa por dizer.

«És sacerdote para todos e todas, assim como Deus é Pai de todos e todas. Rezo para que continues assim, sendo próximo, compassivo e com muita ternura», escreve Francisco.

A mensagem redigida em espanhol foi revelada no domingo pelo religioso jesuíta que desde há anos acompanha pessoas LGBTQ+ (iniciais dos termos em inglês Lesbian, Gay, Bisexual, Transgender, Queer (ou Questioning)).

«O “estilo” de Deus tem três traços: proximidade, compaixão e ternura. Assim se aproxima de cada um de nós. Pensando no teu trabalho pastoral, vejo que buscas continuamente imitar este estilo de Deus», assinala o papa.

A edição de hoje do jornal do Vaticano, "L'Osservatore Romano", menciona a carta, que foi traduzida em vários idiomas pelo portal de notícias Vatican News. O P. James Martin tem recebido, entre católicos, quer incentivos quer críticas ao seu trabalho pastoral.

«Rezo por todos os teus fiéis, a tua "paróquia", todos aqueles que o Senhor te põe para que os cuides, protejas, faças crescer no amor de nosso Senhor Jesus Cristo», aponta.

O papa termina a mensagem, com data de 21 de junho, com um pedido e uma bênção: «Por favor, não te esqueças de rezar por mim. Que Jesus te abençoe e a Virgem Santa te cuide. Fraternalmente, Francisco».

Depois de apresentar a carta no Twitter, o P. James Martin manifestou o desejo de que as palavras de Francisco possam «encorajar e inspirar todos aqueles na Igreja que ministram aos católicos LGBTQ e, além disso, recordar às pessoas LGBTQ em todo o mundo a proximidade, compaixão e ternura de Deus».

O realizador norte-americano Martin Scorsese produziu um documentário sobre o religioso jesuíta e o seu ministério que foi selecionado para a edição deste ano (junho) do festival de cinema Tribeca, caracterizado pela diversidade de autores, narrativas e perspetivas.

A obra, “Building a bridge”, é baseada no livro homónimo do P. James Martin, publicado em 2018.



Imagem Carta do papa Francisco ao P. James Martin | Conta do P. James Martin no Twitter | D.R.

 

Rui Jorge Martins
Fonte: Vatican News, Twitter (P. James Martin, SJ)
Imagem: P. James Martin, SJ, papa Francisco | 2019
Publicado em 28.06.2021

 

 
Relacionados
Destaque
Pastoral da Cultura
Vemos, ouvimos e lemos
Perspetivas
Papa Francisco
Teologia e beleza
Impressão digital
Pedras angulares
Paisagens
Umbrais
Mais Cultura
Vídeos