Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura
Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura

Os 116 anos da Irmã André, a mulher mais idosa da Europa

Religiosa da comunidade de S. Vicente de Paulo, em França, a Ir. André é hoje a mulher mais idosa da Europa, e a segunda do mundo, para quem «ser ainda capaz de rezar» está na base da sua felicidade diária.

O 116.º aniversário foi celebrado esta terça-feira, 11 de fevereiro, na casa de repouso de Sainte-Catherine-Labouré, em Toulon, na costa mediterrânica, cidade de que é cidadã hnorária. «Que o bom Deus não seja demasiado lento a fazer-me esperar ainda. Exagera…», comentou, bem disposta.

Nascida em 1904, a Ir. André viveu a Terceira República, as duas guerras mundiais, o advento da Quarta e Quinta República, em França, e por ela “passaram” dez papas.

Nascida numa família de huguenotes, protestantes franceses de confissão calvinista e com um avô pastor, Lucile Randon converteu-se ao catolicismo aos 19 anos. Entrou nas Filhas da Caridade, em Paris, aos 40 anos, como “vocação adulta”, que dura há quase 76 anos.

Após 28 anos de apostolado em Vichy, na assistência a idosos e órfãos, a Ir. André – nome escolhido em referência ao irmão, inquieto pela sua vocação – entrou numa primeira casa de repouso, na Savóia. Em 2009, com 105 anos, transferiu-se para a morada atual.

A longevidade não afetou as capacidades cognitivas, mantém perfeitamente uma conversa e recorda-se de muitos detalhes da sua vida movimentada. É apreciadora de chocolates, «e por nada dets mundo falta a uma celebração religiosa», revelou, o ano passado, um dos colaboradores da instituição de repouso.

Cega e numa cadeira de rodas, o que a desgosta particularmente por a impedir de movimentar-se como deseja, mas ainda com capacidade para escutar a Rádio Vaticano, a Ir. André pediu para o seu aniversário que rezassem por ela, depois de, nos 115 anos, ter recebido um terço do papa Francisco, que qualifica de «corajoso».

A mulher considerada a mais idosa do mundo é a japonesa Tane Tanaka, com 117 anos. Haverá, potencialmente, pessoas mais idosas, mas de quem não se dispõe de informações.


 

Rui Jorge Martins
Fontes: Vatican News, Le Parisien
Trad.: Rui Jorge Martins
Imagem: Irmã André | D.R.
Publicado em 12.02.2020

 

 
Relacionados
Destaque
Pastoral da Cultura
Vemos, ouvimos e lemos
Perspetivas
Papa Francisco
Teologia e beleza
Impressão digital
Pedras angulares
Paisagens
Umbrais
Mais Cultura
Vídeos