Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura
Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura

Música eletrónica e arquiteturas de luz redescobrem “Exclamações da alma a Deus”, de Santa Teresa de Ávila

As “Exclamações da alma a Deus”, texto clássico da literatura espiritual da autoria da mística espanhola Santa Teresa de Ávila (1515-1582), estiveram na base de um projeto multimédia apresentado numa igreja, que envolveu voz, música eletrónica e desenho de luz.

A iniciativa, que decorreu esta quarta-feira na igreja de Jesus, a primeira dos Jesuítas em Roma, conjugou «palavra e mensagem, voz e som, luz e imagens, através de formas inovadoras de comunicação multimédia, com o apoio de tecnologias de vanguarda aplicadas ao campo experimental da elaboração da voz, da música eletrónica e da arte visual como “esculturas do som e da luz”».

O itinerário artístico e espiritual, comentado por Mons. Sánchez de Toca Alameda, subsecretário do Conselho Pontifício da Cultura, induziu «uma “imersão emotiva” global de “escuta visual” e de “visão auditiva”, sobre um texto que representa o «“grito” de uma mulher livre que manifesta o seu amor puro, ora apaixonado, ora dramático, sempre extraordinariamente vital», refere a página da igreja.

«A arte multimédia, investigação musical e linguagens experimentais orientam a poética religiosa para uma área da sensibilidade estética contemporânea», explicaram o reitor e vice-reitor da igreja, realçando que a experiência visa contribuir «para o desenvolvimento de uma aproximação à espiritualidade com um percurso performativo integrador de um conjunto de interseções, influências, sobreposições, características próprias da complexidade do mundo de hoje».



«A música segue, passo a passo, o texto da santa, perscruta-lhe o sentido mais íntimo e tenta completá-lo, explorando o poder encerrado no caráter não semântico do som. A forma musical não é, por isso, abstrata, construída a partir de um esquema sistemático, mas uma forma fluida, capaz de aderir a quanto o texto literário oferece»



Ao acolher «configurações originais de criatividade cultural», a Companhia de Jesus deseja participar «na elaboração de uma gramática interior que faça progredir hoje a aventura espiritual», declararam os religiosos, também responsáveis pelo projeto.

«O som da língua da santa é já oração. E como o som, também o discurso, na sua argumentação, tem em si uma natureza concreta, material, a espaços áspera e ferrosa. Daqui vem a tentativa de reproduzir este som que sai da terra, direção em que se move também a música eletroacústica, construída com sons de voz humana, a minha, que foram modificadas juntamente com sons naturais de flauta, segundo os mais modernos critérios de elaboração do som», afirmou a vocalista, Silvia Schiavoni.

A compositora, Silvia Lanzalone, observa que a música das “Exclamações” percorre «os estados de alma contrastantes, os anseios apaixonados, os percursos dialéticos da oração que Santa Teresa dirige a Deus segundo um seu percurso livre, uma espécie de “fluxo de consciência” pungente, ardente de fé e amor espiritual».

«A música segue, passo a passo, o texto da santa, perscruta-lhe o sentido mais íntimo e tenta completá-lo, explorando o poder encerrado no caráter não semântico do som. A forma musical não é, por isso, abstrata, construída a partir de um esquema sistemático, mas uma forma fluida, capaz de aderir a quanto o texto literário oferece, palavra após palavra», acrescenta.

A composição foi elaborada a partir da versão radiofónica produzida pela Rádio Vaticano em 2015, «que apresenta uma seleção das 17 exclamações, escolhidas a partir de um critério de representação dos momentos mais emblemáticos e exaltantes do texto».

«O projeto de luz, como ato hermenêutico do extraordinário complexo monumental e artístico da igreja de Jesus, interpreta as “Exclamações” com ambientações luminosas, como quadros que fixam no instante luminoso o gesto, o som, a palavra», assinala Emanuela Mentuccia, responsável pela coordenação cenográfica e o desenho de luz.

Entre as atividades culturais da igreja de Jesus incluem-se três ciclos de cinema, ao longo do ano de 2018/19. "Entre Oriente e Ocidente - Encontro com o cinema turco" foi o tema escolhido para a Quaresma. com a projeção de quatro filmes. De novembro a junho os Jesuítas propõem também os encontros "Ser um peregrino - A viagem na literatura".


 

Rui Jorge Martins
Fonte: Chiesa del Gesù
Imagem: "A visão de Santa Teresa" (det.) | Bartolommeo Guidobono
Publicado em 11.04.2019

 

 
Relacionados
Destaque
Pastoral da Cultura
Vemos, ouvimos e lemos
Perspetivas
Papa Francisco
Teologia e beleza
Impressão digital
Pedras angulares
Paisagens
Umbrais
Mais Cultura
Vídeos