Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura
Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura

“E Deus nisso tudo?”: Conversas cruzam fé com arte, política, ciência e economia

Não foram as pancadas de Molière, mas uma atriz, Maria Rueff, que esta quarta-feira, 27 de março, Dia Mundial do Teatro, abriu o ciclo “E Deus nisso tudo?”, conversas que cruzam a fé cristã com a arte, política, ciência e economia.

Serão 12 as personalidades que vão passar pela paróquia do Campo Grande, em Lisboa, entrevistadas pela jornalista Maria João Avillez, que prossegue as conversas sobre Deus que tinha começado na capela do Rato, igualmente na capital.

«Primeiro que tudo, consideramos que é muito importante percebermos de que maneira é que a fé pode incarnar na nossa vida concreta. Por vezes perguntamo-nos como é que uma atriz, como hoje a Maria Rueff, vive a fé na vida quotidiana, como é que um político transporta para a política os valores do Evangelho e a forma como se relaciona com Jesus», explicou o pároco ao Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura.

As conversas, que começam sempre às 21h30 e têm, no máximo, uma hora de duração, possibilitam também «saber se em alguns momentos há ou não um combate entre as realidades da fé e da atividade profissional, e como é que se podem harmonizar», acrescentou o P. Hugo Gonçalves.

«Consideramos que é um diálogo com a sociedade e a cultura, nas várias frentes, e um serviço de nova evangelização, para que outras pessoas percebam que podemos fazer bem o nosso trabalho, podemos estar destacados na vida pública, sem termos que pôr em causa a nossa fé», salientou.

Os convites foram feitos por Maria João Avillez, e a recetividade dos convidados é motivo de satisfação para o P. Hugo Gonçalves: «Todos responderam afirmativamente à primeira. Nós ficámos felizes com isso, porque mostra que estão disponíveis para partilhar a vida da fé».

O programa prossegue na próxima quarta-feira, 3 de abril, com António Lobo Xavier, advogado e conselheiro de Estado, seguindo-se Isabel Capeloa Gil, reitora da Universidade Católica, a 8 de abril, o musicólogo Ruy Vieira Nery e o fadista Peu Madureira (17 de abril), e a jornalista e escritora Leonor Xavier (dia 24), presente no encontro inaugural, acompanhada pela atriz Glória de Matos, para quem Maria Rueff, sua aluna, pediu uma salva de palmas antes do início da conversa.

Maio começa com o presidente do Conselho de Administração da Renova, Paulo Miguel Pereira Silva (dia 1), o historiador de ciência Henrique Leitão (8), o deputado José Manuel Pureza (15), a maestrina Joana Carneiro (22), o professor António Filipe Pimentel (29). A última sessão, a 5 de junho, conta com Leonor Beleza, presidente da Fundação Champalimaud e conselheira de Estado.


 

Rui Jorge Martins
Imagem: "Confervae" | Anna Atkins
Publicado em 04.04.2019

 

 
Relacionados
Destaque
Pastoral da Cultura
Vemos, ouvimos e lemos
Perspetivas
Papa Francisco
Teologia e beleza
Impressão digital
Pedras angulares
Paisagens
Umbrais
Mais Cultura
Vídeos