Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura
Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura

Comunidades cristãs respondem aos “tweets” de Donald Trump sobre a cidade de Baltimore

Os líderes de comunidades cristãs do estado de Maryland enviaram a 29 de julho uma missiva ao presidente dos EUA, Donald Trump, em resposta às mensagens na rede social Twitter que tem publicado sobre a capital estadual, Baltimore, nomeadamente com acusações aos residentes e ao congressista afro-americano Elijah Cummings.

A carta aberta é assinada pelos bispos episcopaliano, luterano evangélico, metodista, bem como pelo arcebispo católico de Baltimore, D. William Lori, e pelo bispo auxiliar da diocese, D. Dennis Madden, entre outros responsáveis.

«Ao presidente dos Estados Unidos

Como líderes judicatórios de várias denominações cristãs em Maryland, queremos que saiba que muitas das nossas Igrejas rezam por si todos os domingos nas nossas celebrações. Num dos livros de orações que é comummente usado, encontramos esta oração por si e pelos líderes cívicos:

“Concedei ao presidente dos Estados Unidos (…) e a todos em cargos de autoridade, sabedoria e força para conhecer e fazer a vossa vontade. Enchei-os com o amor pela verdade e justiça, e tornai-os cada vez mais conscientes do seu chamamento para servir este povo no vosso temor”.



Para os seus detratores, as cidades são vistas apenas através da lente de males sociais, como pobreza, crime, violência e racismo. Para Deus, contudo, as cidades são primariamente vistas como espaços de esperança



Recentemente, com muito desapontamento e profunda tristeza da nossa parte, insultou, num “tweet”, a nossa amada cidade de Baltimore. Não iremos repetir o insulto, para não o dignificar. Foi horrível, degradante e abaixo da dignidade de um líder político que nos devia encorajar a todos a comprometermo-nos e a trabalhar por uma sociedade mais civil, justa e compassiva.

É demasiado fácil procurar por bodes expiatórios e culpar outros por problemas duradouros e sistémicos que afligem toda a comunidade. As cidades, que juntam diversas raças, línguas, culturas e condições económicas e sociais, são alvos frequentes para aqueles que não podem – ou não querem – ver a sua beleza através dos olhos de Deus e nos seus habitantes.

Para os seus detratores, as cidades são vistas apenas através da lente de males sociais, como pobreza, crime, violência e racismo. Para Deus, contudo, as cidades são primariamente vistas como espaços de esperança, luzes do Reino de Deus, e oportunidades para viver numa comunidade por Ele abençoada.

Nas Sagradas Escrituras, o profeta Jeremias ergueu o seu povo que estava no desespero: "Procurai o bem do país para onde vos exilei e rogai por ele ao Senhor, porque só tereis a lucrar com a sua prosperidade (…). Não vos deixeis seduzir pelos profetas que se acham entre vós, nem pelos adivinhos, e não façais caso dos sonhos que tendes. Porque estes homens mentem, ao pretender pronunciar oráculos em meu nome. Eu não os enviei - oráculo do Senhor" (29,7-9).



Convidamo-lo a visitar-nos em Baltimore; a ver-nos em ação, e ver como as nossas comunidades sobrevivem e até prosperam perante a adversidade. Estamos a pedir a sua ajuda – não “tweets” denunciatórios



Grandes líderes como Jeremias tinham uma visão cativadora para o seu povo, e sabiam como congregar povos diferentes em torno dessa visão. As nossas comunidades têm uma visão semelhante de saúde e prosperidade para Baltimore, e trabalham corajosamente e efetivamente para construir esta cidade através das suas ações – e não para a destruir por palavras.

Em Baltimore, as pessoas de fé estão a…
… ensinar as crianças a ler, estudar, brincar e crescer em ambientes seguros.
… a chegar até estudantes do ensino secundário com programas que os mantêm fora das ruas e expandem as suas oportunidades.
… salvar as vidas dos dependentes de opióides, alcoól e outras drogas.
… reclamar edifícios abandonados para alojamento e outras necessidades comunitárias.
… dar passos reais para reduzir a violência armada e promover a coesão social.
… ajudar imigrantes e refugiados recentes a estabelecerem-se e a prosperarem nos seus novos ambientes.
… alimentar, vestir e dar alojamento àqueles que não têm para onde ir e ninguém para os ajudar.
… plantar árvores, cuidar de jardins e limpar estradas e canais para proteger a boa terra de Deus da poluição.

Todos os dias, eles demonstram o seu compromisso em amar a Deus e os seus próximos como a si próprios. A nossa gente está a mostrar-nos como viver e como liderar. Convidamo-lo a visitar-nos em Baltimore; a ver-nos em ação, e ver como as nossas comunidades sobrevivem e até prosperam perante a adversidade. Estamos a pedir a sua ajuda – não “tweets” denunciatórios.

Hoje, mais do que nunca, precisamos de líderes visionários como Jeremias. Numa sociedade de desacordos honestos e diferenças políticas, é especialmente imperativo que os líderes não insultem, humilhem, desumanizem e dividam pessoas e comunidades. Bons líderes elevam, congregam as pessoas, e extraem o melhor delas. Culpar pessoas e comunidades inteiras não é liderança; é regressão – para todos. Os líderes lideram.

Senhor presidente, como líderes religiosos, imploramos-lhe: em nome de tudo o que é bom, saudável e decente, pare de humilhar as pessoas. Chega de retórica nociva que enraivece e desencoraja as pessoas e comunidades que é chamado a servir – mais do que sabe.

Lidere.»


 

Fonte: Igreja episcopaliana de Maryland
Trad./edição: Rui Jorge Martins
Imagem: D.R.
Publicado em 31.07.2019

 

 
Relacionados
Destaque
Pastoral da Cultura
Vemos, ouvimos e lemos
Perspetivas
Papa Francisco
Teologia e beleza
Impressão digital
Pedras angulares
Paisagens
Umbrais
Mais Cultura
Vídeos