Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura
Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura

A saúde de ferro da Ir. André: Vai fazer 117 anos e sobreviveu ao Covid-19

A Ir. André tem, definitivamente, uma saúde de ferro. Considerada a segunda pessoa mais idosa do mundo, depois da japonesa Kane Tanaka, de 118 anos, decana da Europa, a religiosa francesa festeja os seus 117 anos amanhã, 11 de fevereiro, numa casa de saúde.

O aniversário, que todos, dentro e fora do mosteiro, esperam celebrar, ou pelo menos a ele se associar, é quase um milagre, porque há cerca de um mês, a 16 de janeiro, a religiosa mais idosa do mundo testou positivo ao Covid-19.

«Nem me dei conta que a tinha», confiou a religiosa. Num tempo em que o vírus dizimou, num ano, milhões de pessoas idosas no mundo, a irmã nascida em 1904 deu provas, uma vez mais, da sua constituição fora do comum. De acordo com a imprensa, as autoridades de saúde consideram que ela está fora de perigo.

«Fiquei verdadeiramente inquieto», declarou a um diário regional o responsável pela comunicação da instituição que teve de transmitir à religiosa que tinha sido atingida pela pandemia.

«Ainda que cuidemos de todos os nossos residentes da mesma maneira, ter connosco a decana dos europeus é um orgulho e, ao mesmo tempo, uma imensa responsabilidade», prosseguiu David Tavella, que se afirma «muito ligado» à Ir. André.

Ao tomar conhecimento da “novidade”, a religiosa não se mostrou, de todo, inquieta: «Não manifestou nenhum medo da doença. Pelo contrário, mostrou-se muito inquieta pelos outros residentes» que habitam a mesma casa de saúde, em Toulon, no sul de França, junto ao Mediterrâneo.

A instituição teve de enfrentar, desde o início do ano, uma vaga de Covid, que atingiu 81 dos seus 88 residentes, tendo-se registado uma dezena de mortes causadas pela pandemia.

Assintomática, a Ir. André ficou, ainda assim, confinada durante grande parte de janeiro, não podendo sequer continuar a participar nas missas. Uma privação que lhe terá sido dolorosa, porque nunca faltava à celebração diária.

Agora que as missas foram autorizadas na casa de saúde, sem dúvida que a Ir. André a elas regressará, para confiar a Deus todos os doentes que, contrariamente a ela, estão com muitas dificuldades em se curar.


 

In Famille Chrétienne
Trad.: Rui Jorge Martins
Imagem: VLP/Var-Martin | D.R.
Publicado em 10.02.2021

 

 
Relacionados
Destaque
Pastoral da Cultura
Vemos, ouvimos e lemos
Perspetivas
Papa Francisco
Teologia e beleza
Impressão digital
Pedras angulares
Paisagens
Umbrais
Mais Cultura
Vídeos