Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura
Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura

"Um diário de preces", de Flannery O'Connor, inspira criação artística

Imagem Flannery O'Connor | D.R.

"Um diário de preces", de Flannery O'Connor, inspira criação artística

O Centro Cultural de Belém, em Lisboa, recebe de 22 a 25 de setembro "Um diário de preces", criação concebida a partir de um texto com o mesmo nome da escritora Flannery O'Connor.

Trata-se de um «texto descoberto recentemente (em 2013), onde a já mítica autora de culto do "gótico sulista", do "bible belt" dos EUA meridionais, se dá em diálogo com Deus. Ou melhor, em solilóquio. Outros dirão monólogo», refere a nota de apresentação.

«O que nele é teatro é antes de tudo o surpreendente relato de uma alma em convulsão com os limites da criação artística, de si enquanto corpo vivo e espírito interrogador, do poder da oração e, sobretudo, do sentido do Absoluto nas nossas vidas», acrescenta o texto.

«As orações de Flannery O'Connor estão, como ela explica, entre a metafísica e a terapêutica», escreve o escritor e crítico Pedro Mexia, no prefácio à edição do texto publicado em Portugal pela editora Relógio D'Água.

As preces da autora (1925-1964) «exprimem adoração, contrição, ação de graças, súplica, mas também testam verdades que hão de alimentar a ficção ainda por escrever: a ideia de que o inferno é um conceito mais compreensível do que o céu, de que a Graça é sem porquê, ou de que o pecado é bom porque orienta para a salvação».

Diz Flannery O'Connor: «Tenho de escrever que irei tornar-me artista. Não no sentido da fancaria estética, mas no sentido do engenho estético: caso contrário, sentirei a minha solidão constantemente  - como hoje. A palavra engenho cobre o ângulo do trabalho e a palavra estética cobre o ângulo da verdade».

«Vai ser uma vida inteira de luta sem atingir a consumação. Quando qualquer coisa está concluída, não a podemos possuir. Nada podemos possuir, exceto a luta. Consumimos todas as nossas vidas em possuir a luta, mas somente quando acarinhamos essa luta e a orientamos para uma consumação final exterior a esta vida é que ela tem algum valor. Quero ser a melhor artista que me seja possível, sob a batuta de Deus.»

"Um diário de preces", interpretado por Isabel Abreu, será apresentado na Sala de Ensaio do Centro Cultural de Belém às 21h00 nos dias 22 a 24 de setembro, e às 19h00 no dia 25.

 

Rui Jorge Martins
Publicado em 05.07.2016

 

 

 
Imagem Flannery O'Connor | D.R.
Relacionados
Destaque
Pastoral da Cultura
Vemos, ouvimos e lemos
Perspetivas
Papa Francisco
Teologia e beleza
Impressão digital
Pedras angulares
Paisagens
Umbrais
Evangelho
Vídeos