Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura
Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura

Sé de Leiria recebe companhia de teatro para encenação de “As pedras da catedral”

A sé de Leiria acolhe a 5 de outubro a apresentação dramatizada do conto “As pedras da catedral”, de Pedro Valinho Gomes, interpretado pela companhia Teatro Regional do Juncal.

O «serão cultural», marcado para as 21h30, insere-se no programa das jornadas teológico-pastorais organizadas pelo Centro de Cultura e Formação Cristã, que concluem as celebrações do centenário da restauração da diocese de Leiria-Fátima.

As jornadas, que nos dias 5 e 6 são debatem o “Discernimento e conversão pastoral”, pretendem «olhar a realidade da diocese e apontar áreas de trabalho teológico e pastoral que pedem uma particular atenção», refere uma nota enviada hoje ao Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura.

O encontro, que decorre no Seminário de Leiria, começa com a conferência “O discernimento eclesial e a conversão pastoral”, proferida pelo superior dos Jesuítas em Portugal, P. José Frazão Correia.

“Discernimento e vocação” é o tema da mesa-redonda que, a seguir, aborda o discernimento e a pastoral vocacionais, bem como a pastoral juvenil e do ensino superior.

Os trabalhos da tarde abrem com a conferência “A sedução da fé. Para uma pastoral de gestação”, pelo P. Tiago Neto, seguida por um debate centrado na “Transmissão da fé e família”, dividido nos temas “Despertar da fé”, “Catequese família”, “Escola paroquial de pais” e “Catequese da adolescência”.

No dia 6 os trabalhos começam com a intervenção “O dinamismo da incarnação. Linguagens e lugares da vida cristã” (Pedro Valinho Gomes), desenhando-se depois os “Itinerários de conversão pastoral: comunidades e ministérios”, em mesa-redonda que incidirá no “Laicado”, “Movimentos e novas comunidades”, “Vida consagrada”. “Diaconado permanente” e “Ministério ordenado”.

O P. Miguel Almeida recomeça as jornadas após o almoço falando sobre “O matrimónio frágil numa Igreja de misericórdia”, antes do questionamento “No horizonte de uma nova geografia eclesial, como pensar a reorganização da ação pastoral?”, com o P. Manuel Armindo Janeiro, Júlio Martins e Pedro Ascenso.

O encontro termina com as sínteses e o comentário do bispo diocesano, cardeal D. António Marto.


 

Rui Jorge Martins
Imagem: Sé de Leiria | D.R.
Publicado em 05.09.2018

 

 

 
Relacionados
Destaque
Pastoral da Cultura
Vemos, ouvimos e lemos
Perspetivas
Papa Francisco
Teologia e beleza
Impressão digital
Pedras angulares
Paisagens
Umbrais
Mais Cultura
Vídeos