Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura
Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura

Música: Arrependimento e misericórdia ao abrigo das chamas

Música: Arrependimento e misericórdia ao abrigo das chamas

Imagem Capa | D.R.

A cortina do novo disco do agrupamento vocal "Ora" abre-se e fecha-se sobre duas contrastantes adaptações do "Miserere", o penitencial Salmo 50: a célebre versão assinada por Gregorio Allegri (c. 1582-1652) e a concluída no ano de 2009 pelo compositor escocês James MacMillan (n. 1959).

Trata-se de dois trechos de fortíssimo impacto emotivo, que enquadram um programa denso e articulado, imaginativo e estimulante, construído ao longo de um percurso em torno da controversa figura do religioso dominicano Girolamo Savonarola (1452-1498) e dos textos das suas meditações, fontes de inspiração mais ou menos direta para várias gerações de compositores.

Num contínuo jogo de reflexos - melódicos e estilísticos, históricos e espirituais - o conjunto "a cappella" inglês e a sua diretora, Suzi Digby, empreendem um caminho sonoro de 13 faixas entre exortação à penitência e invocação da misericórdia divina.

Intitulado "Refuge from the flames" (Refúgio das chamas), o álbum oferece duas versões, igualmente separadas por séculos, de "Infelix ego", meditação de Savonarola do Salmo 50, criada pouco tempo antes da sua execução, musicada por William Byrd (c. 1539-1623) e retomada pelo maestro letão Eriks Ešenvalds (n. 1977), propositadamente encomendado pelo grupo Ora.

Ao "abrigo do fogo" comparecem também páginas como "Tristitia me obsedit ad opera", de Jacobus Clemens non Papa (c. 1510-c.1555) e Claude Le Jeune (c. 1528-1600), bem como algumas das laudas mais populares de Savonarola, como "Iesù, sommo conforto", "Alma, che sì gentile" e "Che fai qui, core?".

O agrupamento Ora oferece neste disco música de extrema clareza na integralidade da sua textura polifónica, destacando-se o cuidado com o detalhe sonoro. A direção caracteriza-se pela notável competência técnica, finura de expressão, personalidade interpretativa, através das quais se mantém intacta uma profunda atmosfera instrospetiva da primeira à última nota.






 

Andrea Milanesi
In "Avvenire"
Trad.: SNPC:
Publicado em 10.03.2017

 

 

 
Relacionados
Destaque
Pastoral da Cultura
Vemos, ouvimos e lemos
Perspetivas
Papa Francisco
Teologia e beleza
Impressão digital
Pedras angulares
Paisagens
Umbrais
Evangelho
Vídeos