Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura
Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura

Pastoral da Cultura debate relação das festas do Espírito Santo com ação social

Pastoral da Cultura debate relação das festas do Espírito Santo com ação social

Imagem D.R.

O Serviço da Pastoral da Cultura da diocese açoriana de Angra organiza, esta sexta-feira, «um colóquio formativo sobre a relação entre as festas do Divino Espírito Santo e a ação social dos cristãos no mundo contemporâneo».

A iniciativa, intitulada "O Pai dos pobres: Bíblia, filosofia e sociologia no culto ao Espírito Santo", conta com as intervenções de Ricardo Tavares (Bíblia), José Luís Brandão da Luz (Filosofia) e Octávio Medeiros (Sociologia), e abre-se, na segunda parte, à participação do público.

«A formação teológica, bíblica e até filosófica é um dos grandes objetivos deste colóquio, mas também é um desafio à teologia oficial para se enriquecer com elementos da teologia prática», explicou o responsável pela Pastoral da Cultura da diocese de Angra, padre Ricardo Tavares, citado pela página Igreja Açores.

A devoção ao Divino Espírito Santo perpetuou-se nas ilhas e faz parte integrante da cultura do povo açoriano, espalhando-se, às comunidades de emigrantes, recordou o bispo de Angra, D. João Lavrador, em conferência proferida em julho de 2016.



«Não tenhamos medo das nossas tradições, mas sem as desvirtuarmos. Para que isso aconteça, teremos de estar permanentemente na busca das raízes de onde surgem e aí procurarmos a luz para uma prática fiel, embora atualizada culturalmente»



«Na tradição açoriana, a devoção ao Espírito Santo, ao mesmo tempo que se realça a sua Divindade, reconhece a dimensão caritativa e fraterna, através da partida de bens para com os mais pobres, sem excluir ninguém», frisou o prelado na missa da coroação das festas do Divino Espírito Santo de Ponta Delgada, no mesmo mês.

Aos organizadores das festas, vincou D. João Lavrador, cabe «ler com realismo a sociedade e a cultura atuais, estudar em profundidade os problemas sociais», «atender à pessoa humana na sua integralidade e oferecer os meios necessários para que se atenda aos mais excluídos da sociedade».

«Não tenhamos medo das nossas tradições, mas sem as desvirtuarmos. Para que isso aconteça, teremos de estar permanentemente na busca das raízes de onde surgem e aí procurarmos a luz para uma prática fiel, embora atualizada culturalmente», sublinhou.

O programa da diocese insular para 2016/17 centra-se na Pastoral Social, o que se traduz na «atenção e ação privilegiada para com os mais carenciados» da sociedade açoriana: «Não é alheio que a situação social de grande número dos nossos diocesanos é de carência económica, de exclusão social, cultural e religiosa», lê-se no documento.

A sessão promovida a 24 de março pela Pastoral da Cultura, dirigida às «pessoas interessadas no aspeto cultural e social do culto ao Divino Espírito Santo, especialmente mordomos, imperadores, irmãos e foliões do Espírito Santo», decorre às 20h00 no salão paroquial das Furnas, Povoação, ilha de S. Miguel.



 

SNPC
Fontes: Igreja Açores, Câmara Municipal de Ponta Delgada
Publicado em 22.03.2017

 

 
Relacionados
Destaque
Pastoral da Cultura
Vemos, ouvimos e lemos
Perspetivas
Papa Francisco
Teologia e beleza
Impressão digital
Pedras angulares
Paisagens
Umbrais
Mais Cultura
Vídeos