Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura
Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura

Papa propõe não-violência como estilo de política para tema do 50. Dia Mundial da Paz

Imagem Papa Francisco | D.R.

Papa propõe não-violência como estilo de política para tema do 50. Dia Mundial da Paz

“A não violência: um estilo de política para a paz” é o título da mensagem do papa para o 50.º Dia Mundial da Paz, que se assinala a 1 de janeiro de 2017, anunciou hoje o Vaticano.

O texto que contextualiza a mensagem, a quarta para a ocasião que Francisco vai escrever, realça que «se se salvaguardam os direitos de cada pessoa e a igual dignidade de uma, sem discriminação nem distinção, a não-violência, entendida como método político, pode constituir uma via realista e plena de esperança para superar os conflitos armados. Nesta perspetiva, é importante que se reconheça sempre a força do direito, em vez do direito da força».

A proliferação de surtos de violência dá origem a gravíssimas e negativas consequências sociais. O Santo Padre reflete esta situação com a expressão da “terceira guerra mundial em partes”. Ao contrário, a paz tem consequências sociais positivas e permite realizar um verdadeiro progresso», assinala o texto.

Francisco considera que a negociação de vias de paz deve ser tentada mesmo onde elas «parecem ambíguas e impraticáveis», pois dessa forma «a não-violência poderá adquirir um significado mais amplo e novo: não só como aspiração, desejo, recusa moral da violência, das barreiras, dos impulsos destrutivos, mas também como enfoque político realístico, aberto à esperança».

Com esta mensagem, continua a declaração do Vaticano, o papa deseja abrir «um caminho de esperança» que alcance a resolução dos conflitos «através da negociação, evitando que degenerem em conflitos armados», reconhecendo «o primado da diplomacia sobre o fragor das armas».

«O comércio mundial das armas é de tal magnitude que, em geral, é subvalorizado. O tráfico ilícito das armas sustenta, frequentemente, a maior parte dos conflitos no mundo, A não-violência como uma tática política pode fazer muito para combater este flagelo», conclui o texto.

O Dia Mundial da Paz, instituído pelo Beato Papa Paulo VI, assinala-se no primeiro dia de janeiro. O texto pontifício é enviado aos Ministérios dos Negócios Estrangeiros de todo o mundo para salientar a linha diplomática da Santa Sé para o ano que se inicia.

As três anteriores mensagens do papa Francisco para o Dia Mundial da Paz ("Fraternidade, fundamento e caminho para a paz", 2014; "Já não escravos, mas irmãos", 2015; "Vence a indiferença e conquista a paz", 2016) foram divulgadas publicamente a 8 de dezembro.

 

Rui Jorge Martins
Publicado em 26.08.2016

 

 
Imagem Papa Francisco | D.R.
Francisco considera que a negociação de vias de paz deve ser tentada mesmo onde elas «parecem ambíguas e impraticáveis», pois dessa forma «a não-violência poderá adquirir um significado mais amplo e novo: não só como aspiração, desejo, recusa moral da violência, das barreiras, dos impulsos destrutivos, mas também como enfoque político realístico, aberto à esperança»
Relacionados
Destaque
Pastoral da Cultura
Vemos, ouvimos e lemos
Perspetivas
Papa Francisco
Teologia e beleza
Impressão digital
Pedras angulares
Paisagens
Umbrais
Evangelho
Vídeos