Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura
Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura

Papa Francisco é personalidade do ano em Portugal e Espanha

Imagem Papa Francisco | D.R.

Papa Francisco é personalidade do ano em Portugal e Espanha

Após 22 meses de pontificado, e depois de em 2013 ter sido escolhido como figura do ano por diversos órgãos de imprensa nacionais e estrangeiros, o papa Francisco voltou a destacar-se nas preferências de 2014, desta vez de cidadãos da Península Ibérica.

A SIC revelou hoje que a votação realizada na internet nos últimos dias de dezembro na página do canal televisivo elegeu o papa como a personalidade internacional do ano, com 59% das preferências, tendo-se seguido as equipas médicas envolvidas na luta contra o Ebola (18%) e Malala Yousafzai (6%).

Também o semanário “Expresso” propôs uma votação para leitores e internautas: quase dois terços das preferências (65,23%) foram para Francisco (escolha da redação em 2013), seguindo-se Malala (16,05%) e Vladimir Putin (11,15%).

Em Espanha, o diário “El País” revelou os resultados de uma sondagem em que Francisco surge como a figura mais destacada, acima do presidente norte-americano e do novo monarca.

O papa recolhe 81% de aprovação, mais 10 pontos percentuais acima da avaliação dada a Barack Obama (71%) e ao rei Felipe VI (70%).

O resultado total das pessoas inquiridas que se definiu como votante do Partido Popular (PP), atual partido que governa a Espanha, colocou Francisco em segundo lugar nas preferências (+ 87), depois do rei (+ 91) e antes da rainha Letizia (+ 85).

Por seu lado, os votantes do Podemos, partido espanhol com um ano de vida e que lidera as pesquisas, elegem o papa Francisco como o mais valorizado (+ 49), seguido de Obama (+ 36), o rei Felipe (+ 13) e a rainha Letizia (+ 11).

O saldo total a favor do papa Francisco que a sondagem do “El País” apresenta «é de 64 pontos, sem precedentes em estudos deste género em Espanha», salienta a análise conclusiva proposta pelo diário.

Estes dados são ainda mais significativos ao ter-se em conta que «apenas 22% dos cidadãos, com ligeiras flutuações, segundo os momentos, se definem como “católicos praticantes”, num bloco de 75% que se diz católico, sem especificar mais», acrescenta o texto.

Dentro deste bloco de pessoas que se consideram católicos, 53% apresentam-se como «pouco» ou «nada praticantes».

 

Rui Jorge Martins
Publicado em 02.01.2015

 

 
Imagem Papa Francisco | D.R.
Os dados em Espanha são ainda mais significativos ao ter-se em conta que «apenas 22% dos cidadãos, com ligeiras flutuações, segundo os momentos, se definem como “católicos praticantes”»
Relacionados
Destaque
Pastoral da Cultura
Vemos, ouvimos e lemos
Perspetivas
Papa Francisco
Teologia e beleza
Impressão digital
Pedras angulares
Paisagens
Umbrais
Evangelho
Vídeos