Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura
Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura

Papa escolhe fotografia de bombardeamento atómico para denunciar «o fruto da guerra»

Papa escolhe fotografia de bombardeamento atómico para denunciar «o fruto da guerra»

Imagem © Joseph Roger O’Donnell

O papa escolheu uma imagem do fotógrafo norte-americano Joseph Roger O’Donnell, obtida após o bombardeamento atómico dos EUA à cidade japonesa de Nagasaki, em 1945, para denunciar «o fruto da guerra».

A imagem, feita imprimir por Francisco num cartão distribuído nos últimos dias, retrata uma criança que espera a sua vez no crematório para o irmão morto, que traz ligado a si atrás das costas. «A tristeza da criança só exprime-se no seu gesto de morder os lábios que transpiram sangue», lê-se no verso do postal. Antes do texto, a assinatura do papa e quatro palavras: «…il frutto della guerra», «…o fruto da guerra».

A fotografia e o texto evocam as palavras do papa na mensagem “Urbi et orbi” (à cidade [de Roma] e ao mundo] proferida por Francisco no dia de Natal, no Vaticano: «Hoje, enquanto sopram no mundo ventos de guerra e um modelo de progresso já ultrapassado continua a produzir degradação humana, social e ambiental, o Natal lembra-nos o sinal do Menino convidando-nos a reconhecê-lo no rosto das crianças, especialmente daquelas para as quais, como sucedeu a Jesus, “não há lugar na hospedaria”, afirmou então.

E onde se pode encontrar hoje o Menino? «Vemos Jesus nas crianças do Médio Oriente, que continuam a sofrer pelo agravamento das tensões entre israelitas e palestinianas», «vemos Jesus no rosto das crianças sírias, ainda feridas pela guerra que ensanguentou o país», «vemos Jesus nas crianças do Iraque, ainda contuso e dividido pelas hostilidades que o afetaram nos últimos quinze anos, e nas crianças do Iémen, onde perdura um conflito em grande parte esquecido, mas com profundas implicações humanitárias sobre a população que padece a fome e a propagação de doenças».

«Vemos Jesus nas crianças da África, sobretudo nas que sofrem no Sudão do Sul, na Somália, no Burundi, na República Democrática do Congo, na República Centro-Africana e na Nigéria», «vemos Jesus nas crianças de todo o mundo, onde a paz e a segurança se encontram ameaçadas pelo perigo de tensões e novos conflitos», «vemos Jesus nas crianças que padecem, juntamente com suas famílias, as violências do conflito na Ucrânia e as suas graves repercussões humanitárias», prosseguiu Francisco.

Os exemplos da infância sofredora cruzam Oriente e Ocidente: «Vemos Jesus nas crianças, cujos pais não têm emprego, provando dificuldade em oferecer aos filhos um futuro seguro e tranquilo; e naquelas cuja infância foi roubada, obrigadas a trabalhar desde tenra idade ou alistadas como soldados por mercenários sem escrúpulos», «vemos Jesus nas inúmeras crianças constrangidas a deixar o seu país, viajando sozinhas em condições desumanas, presa fácil dos traficantes de seres humanos»; «revejo Jesus nas crianças que encontrei durante a minha última viagem a Mianmar e ao Bangladesh».

O postal recorda igualmente as palavras que o papa dirigiu aos participantes no encontro “Perspetivas para um mundo livre das armas nucleares e para um desarmamento integral», em novembro: «As armas de destruição em massa, em particular as atómicas, não geram outra coisa a não ser um enganador senso de segurança e não podem constituir a base da convivência pacífica entre os membros da família humana, que deve, ao contrário, inspirar-se numa ética de solidariedade».

E na mensagem para o próximo Dia Mundial da Paz, que se assinala esta segunda-feira, 1 de janeiro, dedicada ao tema “Migrantes e refugiados: homens e mulheres em busca de paz”, Francisco lembra as situações onde mulheres e crianças «estão mais expostas aos riscos e aos abusos que chegam até ao ponto de as tornar escravas».



 

SNPC
Fonte: SIR
Publicado em 30.12.2017

 

 
Relacionados
Destaque
Pastoral da Cultura
Vemos, ouvimos e lemos
Perspetivas
Papa Francisco
Teologia e beleza
Impressão digital
Pedras angulares
Paisagens
Umbrais
Mais Cultura
Vídeos