Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura
Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura

«Onde se compram as chaves para abrir o coração?» Não se vendem, são dadas por Deus, afirma papa

«Onde se compram as chaves para abrir o coração?» Não se vendem, são dadas por Deus, afirma papa

Imagem "Heartland" | Miriam Schapiro | 1985 | D.R.

O papa prosseguiu hoje as meditações sobre a importância do Espírito Santo, quando faltam menos de duas semanas para a mais importante solenidade que o evoca, o domingo de Pentecostes, sublinhando que Ele não pode penetrar nem agir se os católicos forem impenetráveis à sua ação.

A reflexão de Francisco inspirou-se na leitura do Evangelho proclamada nas missas desta segunda-feira (João 15,26 - 16,4a), na qual Jesus promete aos discípulos que enviará «o Espírito da verdade», refere a Rádio Vaticano.

O Espírito Santo «é o companheiro de caminho de cada cristão, também o companheiro de caminho da Igreja», vincou o papa na missa matutina a que presidiu, na capela da casa de Santa Marta, no Vaticano.

«É precisamente no coração onde nós transportamos o Espírito Santo. A Igreja chama-o "o doce hóspede do coração": está aqui. Mas num coração fechado não pode entrar. "E onde se compram as chaves para abrir o coração?". Não: é também um dom. É um dom de Deus», realçou.

Francisco frisou que há uma oração que deve ser recitada por estes dias: «Senhor, abre-me o coração para que eu possa compreender aquilo que ensinaste. Para que eu possa recordar as tuas palavras. Para que eu possa seguir as tuas palavras. Para que eu chegue à verdade plena».

«Peço ao Senhor a graça de que o meu coração esteja aberto? Segunda pergunta: procuro escutar o Espírito Santo, as suas inspirações, as coisas que Ele diz ao meu coração para que eu siga em frente na vida de cristão e possa testemunhar que Jesus é o Senhor?», questionou.

Remontando ao judaísmo, o Pentecostes, palavra de origem grega que significa "dia quinquagésimo", assinala a vinda do Espírito Santo sobre os apóstolos reunidos em Jerusalém, 50 dias após a ressurreição de Jesus. Este ano celebra-se a 4 de junho.



 

SNPC
Fonte: Rádio Vaticano
Publicado em 22.05.2017

 

 
Relacionados
Destaque
Pastoral da Cultura
Vemos, ouvimos e lemos
Perspetivas
Papa Francisco
Teologia e beleza
Impressão digital
Pedras angulares
Paisagens
Umbrais
Mais Cultura
Vídeos