Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura
Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura

O maior escândalo na Igreja é dizer-se cristão e viver como pagão, diz papa

Imagem Papa Francisco | Vaticano, 8.11.2014 | L'Osservatore Romano | D.R.

O maior escândalo na Igreja é dizer-se cristão e viver como pagão, diz papa

O papa Francisco afirmou hoje, no Vaticano, que na vida da Igreja o escândalo consiste em «dizer e professar um estilo de vida – “sou cristão” – e depois viver como pagão, que não crê em nada».

É um escândalo «porque falta o testemunho», ao passo que «a fé confessada é vida vivida», sublinhou Francisco na missa a que presidiu na capela da Casa de Santa Marta, relata a Rádio Vaticano.

«Quando um cristão ou uma cristã, que vai à igreja, que vai à paróquia, não vive assim, escandaliza. Mas quantas vezes ouvimos dizer: “Eu não vou à igreja – homens e mulheres – porque é melhor ser honesto em casa e não proceder como aquele ou aquela que vão à igreja e depois fazem isto, isto, isto...”, apontou o papa.

Para Francisco, o escândalo «destrói a fé», e é por isso que Jesus, no Evangelho proclamado nas missas desta segunda-feira, «é muito forte: “Estai atentos! Estai atentos!”. Far-nos-á bem repeti-lo hoje: “Estai atentos a vós próprios”. Todos nós somos capazes de escandalizar».

Ao mesmo tempo, continuou o papa a meditar sobre o excerto evangélico deste dia, «é necessário ser misericordioso, porque «um cristão que não é capaz de perdoar, escandaliza, não é cristão».

«Devemos perdoar, porque somos perdoados. E isto está no “Pai-nosso”: Jesus ensinou-o lá. E isto não se compreende na lógica humana. A lógica humana leva-te a não perdoar, à vingança; leva-te ao ódio, à divisão. Quantas famílias estão divididas por não se perdoarem, quantas famílias. Filhos distantes dos pais, marido e mulher distantes», referiu Francisco.

Compreende-se assim, salientou Francisco, por que motivo os discípulos pediram a Jesus para que lhes aumentasse a fé: «A fé é um presente. Ninguém com livros ou indo a conferências pode ter a fé. A fé é um presente de Deus».

 

Alessando De Carolis / Rádio Vaticano
Trad. / edição: Rui Jorge Martins
Publicado em 10.11.2014

 

 
Imagem Papa Francisco | Vaticano, 8.11.2014 | L'Osservatore Romano | D.R.
Compreende-se assim, salientou Francisco, por que motivo os discípulos pediram a Jesus para que lhes aumentasse a fé: «A fé é um presente. Ninguém com livros ou indo a conferências pode ter a fé. A fé é um presente de Deus»
Relacionados
Destaque
Pastoral da Cultura
Vemos, ouvimos e lemos
Perspetivas
Papa Francisco
Teologia e beleza
Impressão digital
Pedras angulares
Paisagens
Umbrais
Evangelho
Vídeos