Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura
Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura

Novos retiros de diários gráficos "O espiritual no desenho": Um oceano de água para transformar em vinho

Imagem © Mário Linhares

Novos retiros de diários gráficos "O espiritual no desenho": Um oceano de água para transformar em vinho

Recentemente, a autora Melanie Reim, decidiu tirar um ano sabático.

Eu diria que foi fazer um retiro prolongado das suas rotinas nova iorquinas à procura de algo…

Estive com ela recentemente, mas perdi a oportunidade de lhe perguntar e aprofundar a sua motivação. Deixou as aulas, os seus alunos, a agitação da cidade, os percursos, o controlo da rotina…

Interessante esta ideia de controlar o que já está controlado, o que não deixamos sair da linha sem nos darmos conta que retiramos espaço para a surpresa do imprevisto.

Retirarmo-nos é, portanto, como uma pedrada no charco.

Lembro-me das retiradas feitas nos filmes de combate, sempre associadas à derrota dos soldados quando, de facto, se referem ao momento específico em que não se perdeu ainda, mas, num ato de lucidez, se opta pela retirada como bem maior para um local mais seguro. O retiro poderá ser então o local para onde nos retiramos, reorganizamos, unimos esforços, repensamos a estratégia e, a seu tempo, de lá saímos mais fortes e transformados.

Será a ilha de S. Miguel, arquipélago dos Açores, uma boa escolha para local de retiro? Inspirado pelo evangelho das Bodas de Caná, diria que é um oceano de água para transformar em vinho. Há momentos em que tem de ser. Não há mais tempo a perder e, por muito que se diga “ainda não chegou a minha hora”, a verdade é que Deus coloca no nosso caminho a pessoa certa que nos diz “não têm vinho”, ou seja, “precisam de ti”. Perante tamanho apelo, há que agir e, nessa ação, voltamos a receber a confiança da pessoa certa: “fazei tudo o que Ele vos disser”.

Transformar água em vinho? É tão simples quanto isto: “fazei tudo o que Ele vos disser”. Difícil, mas verdadeiramente transformador.

O próximo retiro de diários gráficos será no meio do oceano Atlântico, ilha de S. Miguel, na casa dos missionários Dehonianos. Vamos tentar que o desenho ajude a refletir e a rezar. Não um desenho qualquer, mas o de observação, porque é o que nos rodeia que precisa de um olhar transformador.

Datas: 24-28 de março (Mário Linhares & P. Nuno Branco sj); 30 de março a 3 de abril (Mário Linhares).

 

Mário Linhares
Publicado em 13.02.2016

 

 

 
Imagem © Mário Linhares
Há momentos em que tem de ser. Não há mais tempo a perder e, por muito que se diga “ainda não chegou a minha hora”, a verdade é que Deus coloca no nosso caminho a pessoa certa que nos diz “não têm vinho”, ou seja, “precisam de ti”
Relacionados
Destaque
Pastoral da Cultura
Vemos, ouvimos e lemos
Perspetivas
Papa Francisco
Teologia e beleza
Impressão digital
Pedras angulares
Paisagens
Umbrais
Evangelho
Vídeos