Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura
Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura

Novo disco de canto gregoriano teve colaboração de produtor que venceu 11 prémios Grammy

Novo disco de canto gregoriano teve colaboração de produtor que venceu 11 prémios Grammy

Imagem Capa | D.R.

O produtor musical norte-americano Christopher Alder, 11 vezes galardoado com o prémio Grammy, colaborou no novo disco "Requiem", interpretado pela Fraternidade Sacerdotal de S. Pedro.

O primeiro CD da sociedade de vida apostólica de direito pontifício formada por padres católicos e fundada em 1988 na Suíça centra-se nos cantos da missa fúnebre da Forma Extraordinária o Rito Romano, em latim.

«Foi uma honra trabalhar com a Fraternidade Sacerdotal de S. Pedro, dado que eles são excelentes embaixadores deste repertório - estão intimamente familiarizados com esta música -, pelo que o seu significado profundo é inescapável ao longo de álbum, e o cuidado e excelência que trouxeram à gravação deste Requiem é uma inspiração, declarou o produtor.

O disco, gravado num dos seminários da comunidade, no estado norte-americano do Nebraska, é composto por 20 faixas, na maioria canto gregoriano monofónico, bem como por motetos de Palestrina (séc. XVI) e do menos conhecido compositor Giovanni Battista Martini (séc. XVIII), um dos professores de Mozart.

«Eles conhecem este material intimamente e sai deles como se fosse poesia que alguém tivesse recitado vezes sem conta. Conhecem-no de coração, em todo o significado do termo, porque o texto é simultaneamente acreditado e cantado ao mais alto nível», acrescentou Christopher Alder.

Apesar de a maior parte das pessoas conhecer o Requiem através da sua versão composta por Mozart, o próprio compositor foi inspirado pelo canto gregoriano, sublinha o diretor musical da Fraternidade, P. Zachary Akers, em nota de imprensa.

O P. Garrick Huang, diretor musical adjunto, realça que o canto gregoriano, segundo se pensa, tem raízes no Ocidente e Oriente, criando um som que cruza várias culturas.

«[Os textos são cantados porque fez sempre parte da natureza humana expressar amor e alegria, desespero e tristeza - o leque de emoções - em canção. Dito isto, o canto do Requiem não é uma performance para nós. Nós dizemos que "cantamos" o Requiem, mas é mais dizer que rezamos o Requiem», declarou.

Ainda que a música e as vestes escuras dos padres durante a missa de Requiem inspirem sentimentos de luto, a confiança está presente: «Não é uma tristeza mórbida porque que temos esperança de que Deus é misericordioso e que essa alma será levada para o céu», assinalou Akers.

«A serenidade do canto revela um espírito de descanso ou repouso, que é precisamente o que a palavra [Requiem] significa, escrevem os padres na sua página.

O álbum "Requiem", produzido em colaboração com a Sony Classical e De Montfort Music, especializada em canto, polifonia e todas as áreas da música sacra, ficará disponível a 12 de maio na Amazon.









 

Catholic News Agency
Redação: SNPC
Publicado em 05.05.2017

 

 
Relacionados
Destaque
Pastoral da Cultura
Vemos, ouvimos e lemos
Perspetivas
Papa Francisco
Teologia e beleza
Impressão digital
Pedras angulares
Paisagens
Umbrais
Mais Cultura
Vídeos