Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura
Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura

Música: Monteverdi na basílica de S. Marcos de Veneza

Entre os projetos discográficos realizados por ocasião das celebrações do 450.º aniversário do nascimento de Claudio Monteverdi (1567-1643), o que foi assinado por Paolo da Col e pelo ensemble Odhecaton impõe-se não só pelos evidentes resultados interpretativos, mas também pela profundidade e inteligência com que orienta as escolhas para um repertório que destaca um aspeto original da trajetória criativa do mestre italiano.

“Monteverdi in San Marco” é, com efeito, um disco que por um lado se concentra num dos períodos de máximo esplendor da Capela Musical da basílica de Veneza, e por outro traz à luz a grandeza do compositor através de algumas obras sacras colocadas de fora dos caminhos traçados pelas suas mais conhecidas “Vésperas da Santíssima Virgem”.

As peças remontam ao longo período em que Monteverdi ocupou o cargo de maestro de capela de S. Marcos (entre 1613 e 1643) e revelam o extraordinário alcance da sua revolução: o momento de transição entre o "estilo antigo" (testemunhado por rigorosos jogos contrapontísticos da “Missa a quatro vozes” publicada numa recolha póstuma em 1650) e o “estilo moderno”, no qual se afirma a exuberância obtida por meio da escrita concertada (como no monumental e virtuoso “Glória” a sete) ou o canto a uma só voz (o esplêndido “Pianto della Madonna”, "disfarce espiritual" do famoso “Lamento di Arianna”).

Da Col é um mestre experiente e preparado, com um gosto particularmente apurado na obtenção das melhores misturas vocais, determinantes para reconstruir o harmonioso entrelaçamento de texturas polifónicas. E se já desde os primeiros acordes do “Kyrie” se torna perfeitamente evidente a dívida que na “Missa” Monteverdi deliberadamente paga ao sumo Palestrina e aos grandes mestres do Renascimento, em páginas como o “Gloria” sabe perfeitamente como abalar qualquer coordenada estilístico-temporal para abrir horizontes sonoros inéditos: as primeiras lições públicas de uma nova escola.








 

Andrea Milanesi
In Avvenire
Trad.: Rui Jorge Martins
Imagem: "Monteverdi in San Marco" (capa) | D.R.
Publicado em 07.09.2018

 

 

 
Relacionados
Destaque
Pastoral da Cultura
Vemos, ouvimos e lemos
Perspetivas
Papa Francisco
Teologia e beleza
Impressão digital
Pedras angulares
Paisagens
Umbrais
Mais Cultura
Vídeos