Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura
Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura

Mário Rui de Oliveira regressa à poesia com “O livro da consolação”

O poeta e padre português Mário Rui de Oliveira vai regressar à publicação de poesia inédita, 15 anos após a sua última obra, com “O livro da consolação”, que tem março de 2019 como data prevista de lançamento.

«Passaram muitos anos desde o último livro, e desde então a morte entrou na minha vida, docemente ou com violência, em muitas pessoas que conhecei e amai, e isso precisa de ser trabalhado e abraçado», ainda que a necessidade de consolação seja «impossível de satisfazer», declarou o autor em entrevista publicada esta terça-feira na página Ytali.

O terceiro livro de poesia de Mário Rui de Oliveira, a viver em Roma desde 2007, ao serviço do Supremo Tribunal da Assinatura Apostólica, da Santa Sé, segue-se a “O vento da noite” (2002), com prefácio de Eugénio de Andrade, e “Bairro judaico” (2003), ambos da Assírio & Alvim, editora que publicará igualmente o novo livro.

«Creio que a poesia sabe mais do que o poeta. O ato de publicar vale na medida em que a poesia é devolvida ao poeta como um corpo estranho do qual ele pode aprender nesse processo de estranhamento. O poeta não tem nada a ensinar, mas tem tudo a aprender com a alteridade que vem da publicação», declara, em conversa com Francisco de Almeida Dias, do Instituto Português de Santo António de Roma.

Mário Rui de Oliveira está convicto de que «é muito interessante ler a crítica e a ressonância da poesia no outro», porque ela faz-se «em diálogo com um tu e, no limite, com o Tu que é a pura alteridade e a consolação definitiva. Descobrem-se coisas extraordinárias na leitura devolvida pelos outros», e nesse sentido o novo livro «pode ser uma revelação».

Também em 2019 Francisco de Almeida Dias publicará um ensaio sobre Mário Rui de Oliveira, numa «tentativa de releitura da sua obra poética e de tradutologia».

O estudo estará incluído na obra “Nel tempo e nella vita: il viaggio, metafora e realtà”, a publicar pela editora SetteCittà no âmbito das comemorações dos 740 anos da morte de Pedro Hispano, promovidas pela cátedra homónima da Universidade de Viterbo, na qual Francisco de Almeida Dias é professor.


 

Rui Jorge Martins
Fonte: Francisco de Almeida Dias / Ytali
Imagem: D.R.
Publicado em 05.09.2018

 

 
Relacionados
Destaque
Pastoral da Cultura
Vemos, ouvimos e lemos
Perspetivas
Papa Francisco
Teologia e beleza
Impressão digital
Pedras angulares
Paisagens
Umbrais
Mais Cultura
Vídeos