Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura
Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura

A maior igreja católica da América do Norte foi completada (quase) um século depois

A maior igreja católica da América do Norte foi completada (quase) um século depois

Imagem Cúpula da igreja do santuário de Nossa Senhora da Conceiçlão, Washington, EUA | © Matthew Barric/RNS

Após quase 100 anos de construção, milhares de crentes testemunharam esta sexta-feira, 8 de dezembro, dia da Imaculada Conceição, a bênção de 24 toneladas de vidro veneziano que embelezam a cúpula da basílica do santuário nacional da Imaculada Conceição, em Washington, EUA.

Denominado de “Cúpula da Trindade”, o mosaico é o elemento arquitetónico final da igreja, um santuário dedicado a Maria que fica próximo da Universidade Católica da América e que é visitado por aproximadamente um milhão de pessoas por ano.

Uma procissão de 10 minutos de cardeais, bispos e padres precedeu a celebração de duas horas e missa que marcaram a dedicação da cúpula.

O cardeal Donald Wuerl, que presidiu à celebração, chamou à basílica uma obra-prima contemporânea. A fé, afirmou, foi a razão porque tantas pessoas, durante tantos anos, se sacrificaram para concluírem a igreja.

«Maria acreditou que nada é impossível com Deus» e por isso «ela é a modelo suprema do que significa acreditar», sublinhou o prelado na igreja agora livre dos andaimes que durante anos estiveram instalados na nave central da para suportar o trabalho.

A “Cúpula da Trindade” é uma das maiores instalações em mosaico do género no mundo, composta por mais de 14 milhões de peças de vidro. Representa a Santíssima Trindade, a Virgem Maria, uma procissão de santos e anjos, os quatro evangelistas e o Credo de Niceia.

O papa Francisco, que visitou a basílica em 2015, enviou uma carta para marcar a dedicação, na qual expressou a esperança de que todos os que contemplem a representação de Maria na cúpula possam, «com novo vigor e novo ardor de caridade, mostrar daí para a frente um amor especial pela Igreja de Cristo e pelo Evangelho, inclusive neste tempo».

Wuerl recordou que, enquanto estudante nos anos 60, ia à basílica e todas as paredes, exceto uma, eram simplesmente tijolo. «Pensava, nessa altura, que era magnificente», declarou, acrescentando que foi tomado pela emoção durante a procissão.

A próxima etapa comemorativa da basílica ocorrerá em 2020, aquando da celebração dos 100 anos do lançamento da primeira pedra.



 

Sharon Samber
In "Religion News Service"
Trad. / edição: SNPC
Publicado em 09.12.2017

 

 
Relacionados
Destaque
Pastoral da Cultura
Vemos, ouvimos e lemos
Perspetivas
Papa Francisco
Teologia e beleza
Impressão digital
Pedras angulares
Paisagens
Umbrais
Mais Cultura
Vídeos