Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura
Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura

Livro ecuménico celebra 90 anos do papa emérito Bento XVI

Livro ecuménico celebra 90 anos do papa emérito Bento XVI

Imagem Papa Francisco com papa emérito Bento XVI | D.R.

O 90.º aniversário do papa emérito Bento XVI, a 16 de abril, vai ser assinalado pelo lançamento de um livro com contributos de teólogos católicos e de outras confissões cristãs.

O volume, intitulado "Cooperatores Veritatis" (Colaborador da Verdade) retoma o moto que Joseph Ratzinger escolheu para o seu brasão arquiepiscopal e cardinalício, antes de ser eleito papa, inspirada em 3 João 8, e que apesar de não ter estado no brasão pontifício, segundo a tradição, se mantém como aspiração e programa pessoal.

A obra editada pela Livraria Editora Vaticana, que será apresentada a 6 de abril, em Roma, reúne contributos dos 13 estudiosos que desde 2011 até hoje foram distinguidos com o Prémio Ratzinger, entregue a académicos que desenvolvem a sua atividade no âmbito da investigação teológica.

O livro é uma oportunidade «para entrar em contacto com um grupo internacional de conceituados estudiosos» que se relacionaram com o pensamento do papa emérito, escreve, na introdução, o padre Federico Lombardi, presidente da Fundação Joseph Ratzinger-Bento XVI e corresponsável, com Pierluca Azzaro, pela organização do volume.

O monsenhor italiano Inos Biffi, o filósofo francês Rémi Brague, o biblista anglicano Richard Burridge, o teólogo polaco monsenhor Waldemar Chrostowski, o jesuíta americano Brian E. Daley, o jesuít brasileiro Mário de França Miranda, única presença lusófona e o teólogo espanhol P. Olegario González de Cardedal integram o elenco de autores.

O volume conta também com as contribuições do abade cisterciense Heiligenkreuz, Áustria, Maximilian Heim, do estudioso libanês Nabil el-Khoury, do teólogo grego ortodoxo Ioannis Kourempeles, da teóloga francesa Anne-Marie Pelletier, do teólogo alemão Christian Schaller, organizador da "Opera omnia" de Joseph Ratzinger-Bento XVI, e do italiano Manlio Simonetti, especialista em Patrística.

Na sessão de lançamento intervém o cardeal suíço Kurt Koch, presidente do Conselho Pontifício para a Promoção da Unidade dos Cristãos e membro do Conselho Científico da fundação, que apresenta a conferência "Uma sinfonia de amor e verdade na liberdade. Joseph Ratzinger/Bento XVI testemunha grata da fé pascal".

Joseph Ratzinger nasce no Sábado Santo de 1927, na Baviera, Alemanha, e é batizado no mesmo dia. Passa a infância e adolescência em Traunstein, perto da fronteira com a Áustria, onde recebe a sua primeira formação cristã, humana e cultural. Até setembro de 1944 desempenha funções nos serviços auxiliares anti-aéreos.

É ordenado padre a 29 de Junho de 1951 e um ano depois começa a sua atividade de professor. Em 1953, doutora-se em Teologia com a tese «Povo e Casa de Deus na doutrina da Igreja de Santo Agostinho» e passados quatro anos apresenta a dissertação "A teologia da história em São Boaventura".

Leciona em diversas universidades alemãs e é perito no Concílio Vaticano II (1962-1965). Em 1977 o papa Paulo VI nomeia-o arcebispo de Munique e Freising e cria-o cardeal.

João Paulo II nomeia-o prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé e presidente da Pontifícia Comissão Bíblica e da Comissão Teológica Internacional em 1981 e no ano seguinte deixa o governo pastoral da arquidiocese alemã.

Em 2002 o mesmo papa aprova a sua eleição para decano do Colégio Cardinalício. Sucede a João Paulo II no dia 19 de abril de 2005 e resigna a 28 de fevereiro de 2013.



 

Relacionados
Destaque
Pastoral da Cultura
Vemos, ouvimos e lemos
Perspetivas
Papa Francisco
Teologia e beleza
Impressão digital
Pedras angulares
Paisagens
Umbrais
Mais Cultura
Vídeos