Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura
Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura

Lisboa e Porto ouvem obra de compositores contemporâneos sobre Fátima

Lisboa e Porto ouvem obra de compositores contemporâneos sobre Fátima

Imagem Officium Ensemble | D.R.

Espaços emblemáticos de Lisboa e Porto acolhem em março a obra "Tropário para uma pastora de ovelhas mansas: ciclo para coro, piano e acordeão sobre fragmentos das memórias da irmã Lúcia", uma das videntes das aparições marianas na Cova da Iria (1917).

Interpretado pelo Officium Ensemble, com direção de Pedro Teixeira, Octávio Martins (acordeão) e Ana Telles (piano), a obra congregou seis compositores portugueses a trabalhar sobre igual número de tropos, assinala a página do Santuário de Fátima.

“Memória” (para coro-acordeão, composto por João Madureira), “O Anjo” (coro-piano, Alfredo Teixeira), “A Senhora” (coro-acordeão, Sérgio Azevedo), “Francisco” (coro-piano, Nuno Côrte-Real), “Jacinta” (coro-acordeão, Rui Paulo Teixeira) e "Adeus" (coro-acordeão, Carlos Marecos) são os títulos dos seis tropos.

«A formação Coro-Piano e Coro-Acordeão alternam até ao último tropo, que junta ao Coro os dois instrumentos. Este diálogo tímbrico entre as duas formações evoca também a pluralidade de universos culturais implicados na narrativa de Fátima», refere o santuário.

«Em cada fragmento textual nada é acrescentado, mas, com frequência, o texto conhece a supressão de alguns constituintes frásicos, com o intuito de tornar a narrativa mais direta, concentrando-a no que se identificou como essencial para a expressão musical», explica o texto de apresentação.

Para Alfredo Teixeira, coordenador do projeto de composição, o essencial para a expressão musical foi a «linguagem mística e bucólica de uma pastora vidente, que descobre no que a rodeia uma transparência sobrenatural».

As "Memórias" da irmã Lúcia, «não sendo meros relatos de recordações ou crónicas historiográficas, têm origem numa profunda experiência espiritual. Por isso, não transmitem simplesmente o pensamento e o testemunho de vida da Autora, mas são também mediadoras de apelos contidos nos acontecimentos fundantes de Fátima», sublinhou o P. Vítor Coutinho, vice-reitor do santuário.

A apresentação de "Tropário para uma pastora de ovelhas mansas" está marcada para 18 de março, no Centro Cultural de Belém (Centro de Reuniões), em Lisboa, às 21h00, e a 26 do mesmo mês na Casa da Música (Sala Suggia), no Porto, pelas 18h00.









 

SNPC
Publicado em 06.03.2017

 

 

 
Relacionados
Destaque
Pastoral da Cultura
Vemos, ouvimos e lemos
Perspetivas
Papa Francisco
Teologia e beleza
Impressão digital
Pedras angulares
Paisagens
Umbrais
Mais Cultura
Vídeos