Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura
Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura

Liberdade: «A verdadeira medida do tempo não é a do relógio», mas a da «esperança»

Imagem Papa Francisco abençoa recluso | 27.9.2015 | Filadélfia, EUA | © Lusa

Liberdade: «A verdadeira medida do tempo não é a do relógio», mas a da «esperança»

Em carta dirigida a reclusos, mas que pode ser meditada por todos os que não estão na mesma situação, o papa Francisco sublinhou que «a verdadeira medida do tempo não é a do relógio», mas «chama-se esperança».

A missiva, revelada hoje pela Rádio Vaticano, é a resposta a uma carta que os detidos do estabelecimento de Velletri, próximo de Roma, pediram ao bispo de Albano para entregar ao papa, a 5 de março.

«Desejo que cada um de vós tenha sempre bem acesa a luz da esperança da fé para iluminar a vossa vida», assinala Francisco, depois de agradecer aos reclusos por se terem lembrado dele, no meio das «dificuldades» que atravessam.

E qual é o fundamento para manter a esperança viva? «Estai sempre certos de que Deus vos ama pessoalmente, para Ele não tem importância a vossa idade ou a vossa cultura, nem sequer tem importância o que fostes, as coisas que fizestes» ou «os erros que cometestes».

Diante da misericórdia de Deus, a atitude é olhar em frente: «Não vos deixeis encerrar no passado, transformai-o antes em caminho de crescimento, de fé e de caridade. Dai a Deus a possibilidade de vos fazer brilhar através desta experiência».

Depois de recordar que na história da Igreja «muitos santos chegaram à santidade através das experiências duras e difíceis», Francisco lança um convite: «Abri as portas do vosso coração a Cristo, e será Cristo a dar uma reviravolta à vossa situação. Com Cristo tudo isto é possível».

O cuidado que o papa tem pelas pessoas presas é referido na mensagem, ao recordar que nas suas visitas pastorais pergunta sempre se é possível encontrar-se com quem vive «uma liberdade limitada, para lhes levar o afeto e a proximidade».

 

Rui Jorge Martins
Publicado em 25.04.2016

 

 
Imagem Papa Francisco abençoa recluso | 27.9.2015 | Filadélfia, EUA | © Lusa
Relacionados
Destaque
Pastoral da Cultura
Vemos, ouvimos e lemos
Perspetivas
Papa Francisco
Teologia e beleza
Impressão digital
Pedras angulares
Paisagens
Umbrais
Evangelho
Vídeos