Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura
Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura

Idanha apresenta candidatura dos Mistérios da Páscoa à UNESCO

Idanha-a-Nova apresenta candidatura dos Mistérios da Páscoa à UNESCO

Imagem Romaria da Senhora do Almurtão, Idanha-a-Nova | rjm

O Município de Idanha-a-Nova manifestou a intenção de apresentar à UNESCO, Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura, o pedido de inscrição dos Mistérios da Páscoa, manifestações de religiosidade popular ligadas à Quaresma e Tempo Pascal.

«Os Mistérios da Páscoa estão a ser redescobertos, e toda esta tradição popular e litúrgica é um exemplo de cultura e de preservação. Idanha-a-Nova sabe chamar as pessoas e chamar para si a sua diáspora», declarou o ministro da Cultura, aquando da apresentação do Programa para a Salvaguarda e Promoção dos Mistérios da Páscoa, em fevereiro.

Para o idanhense Luís Filipe de Castro Mendes, os Mistérios da Páscoa constituem «um projeto de cultura, um projeto de preservação da história e da memória, e também um projeto de criatividade».

«Guardar tradições não significa que as pessoas se fechem nelas e olhem apenas para o passado», acrescentou o governante, que elogiou o «trabalho criativo» desenvolvido sobre a «história» e a «memória».

O presidente da Câmara explicou que a candidatura é sustentada por «250 manifestações de piedade popular que acontecem ao longo de 90 dias, desde a Quarta-Feira de Cinzas ao Domingo de Pentecostes, as quais se traduzem numa riqueza cultural muito significativa».



«Esta nossa riqueza histórico-cultural foi passando de geração em geração, vivida sempre com muita fé, por isso, preservou-se ao longo do tempo. Tudo o que seja representar não tem esta força e riqueza»



«Todo o processo tem sido trabalhado em colaboração com as diferentes comunidades locais, até porque têm sido as populações e as instituições as principais responsáveis pela preservação das nossas tradições», frisou Armindo Jacinto, que preside à quarta autarquia em extensão de Portugal.

O trabalho realizado nos últimos anos permitiu no concelho vizinho da fronteira com Espanha, na Beira Interior, a 260 km de Lisboa, recuperar e revitalizar manifestações religiosas católicas, que eram 163 em 2009, embora a preocupação com a sua preservação tenha origem há quatro décadas.

«Esta nossa riqueza histórico-cultural foi passando de geração em geração, vivida sempre com muita fé, por isso, preservou-se ao longo do tempo. Tudo o que seja representar não tem esta força e riqueza», afirmou o edil durante o lançamento da agenda dos "Mistérios da Páscoa em Idanha 2017", em março.

O coordenador do projeto, António Catana, realçou que o concelho soube «preservar práticas de devoção que foram comuns a todo o Portugal interior mas extinguiram-se em muitos outros locais».



Ao antropólogo Paulo Lima que colaborara na candidatura do Fado e fora responsável pela candidatura do Cante Alentejano, ambas à Lista representativa da UNESCO, e fora responsável pela dos Chocalhos à Lista de salvaguarda da UNESCO, entendeu a Câmara Municipal convidá-lo a elaborar a inscrição dos Mistérios da Páscoa em Idanha, no Inventário Nacional do Património Cultural Imaterial



No âmbito da iniciativa decorre esta sexta-feira, 7 de abril, o 10.º Encontro de Cantares Quaresmais, às 21h00, no fórum cultural de Idanha-a-Nova, com a participação do Grupo de Cantares de Ínsua (Penalva do Castelo), Grupo de Encomendação das Almas de Corgas (Proença-a-Nova), Grupo da Amentação das Almas de Paranhos da Beira (Seia), Grupo das Adufeiras de Monsanto (Idanha-a-Nova) e Grupo de Encomendação das Almas de Idanha-a-Nova.

No dia seguinte, no mesmo local, realiza-se, a partir das 10h00, o 4.º Curso Livre sobre Religiosidade Popular, dedicado ao tema "Será a fé um bem patrimonializável e turistificável?".

O programa inclui uma reflexão sobre "30 anos de vivências" dos Mistérios da Páscoa, por António Catana (10h00) e a mesa redonda "A salvaguarda do património cultural imaterial", com o musicólogo Rui Vieira Nery, o fadista Carlos do Carmo, o antropólogo Paulo Lima, ligado ao projeto de salvaguarda do Ciclo da Páscoa, e o presidente da Câmara Municipal (16h30).

O curso termina com um concerto da Páscoa, antecedido com "Encomendações das almas", de Fernando Lopes Graça, pelo Coro de Câmara Lisboa Cantat (18h00).



As várias saídas de campo efetuadas por Paulo Lima relativas ao património associado ao Ciclo da Páscoa possibilitaram organizar um conjunto de registos que, após aturado estudo e reflexão, o surpreenderam pela diversidade, qualidade e quantidade de manifestações da piedade popular



História recente da preservação dos Mistérios da Páscoa em Idanha
In "Agenda dos Mistérios da Páscoa"

Desde o ano 2009, o Município de Idanha-a-Nova, em sintonia com os guardiães e as guardiãs das comunidades locais, com as Irmandades das Santas Casas da Misericórdia, com as Confrarias e com os Párocos tem desenvolvido uma sistemática estratégia de fortalecimento e organização bem expressivas, quer com as Agendas dos Mistérios da Páscoa em Idanha, quer com os encontros científicos que se realizam, na Quaresma.

Ao antropólogo Paulo Lima que colaborara na candidatura do Fado e fora responsável pela candidatura do Cante Alentejano, ambas à Lista representativa da UNESCO, e fora responsável pela dos Chocalhos à Lista de salvaguarda da UNESCO, em boa hora, entendeu a Câmara Municipal convidá-lo a elaborar a inscrição dos Mistérios da Páscoa em Idanha, no Inventário Nacional do Património Cultural Imaterial.

As várias saídas de campo efetuadas por este investigador, no território do concelho de Idanha-a-Nova, relativas ao património associado ao Ciclo da Páscoa, possibilitaram organizar um conjunto de registos que, após aturado estudo e reflexão, o surpreenderam pela diversidade, qualidade e quantidade de manifestações da piedade popular e evidenciaram o notável esforço e a enraizada dedicação das comunidades e Instituições que não só é louvável, mas dignas de constituir um referente para outras comunidades do País e do Mundo.

Daí que o citado antropólogo ousou propor ao Presidente da Câmara Municipal, Engº Armindo Jacinto, a construção de propostas de salvaguarda e de promoção, bem como, não só a inscrição dos Mistérios da Páscoa em Idanha no Inventário Nacional do Património Cultural Imaterial, mas também a produção de um dossiê com uma proposta para potencial inscrição do bem patrimonial referido na Lista das melhores práticas da UNESCO.



 

Relacionados
Destaque
Pastoral da Cultura
Vemos, ouvimos e lemos
Perspetivas
Papa Francisco
Teologia e beleza
Impressão digital
Pedras angulares
Paisagens
Umbrais
Mais Cultura
Vídeos