Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura
Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura

Festival de Órgão de Braga convida organista titular da Capela Pontifícia "Sistina"

Festival de Órgão de Braga convida organista titular da Capela Pontifícia "Sistina"

Imagem D.R.

O espanhol Juan Paradell Solé, organista titular da Capela Musical Pontifícia "Sistina", que por inerência toca regularmente nas celebrações litúrgicas do papa na basílica de S. Pedro, no Vaticano, é um dos artistas que participam na quarta edição do Festival de Órgão de Braga.

No concerto marcado para 30 de abril, na igreja de S. Marcos, em Braga, serão apresentadas em primeira audição contemporânea duas obras inéditas do século XVII, de compositores portugueses, do arquivo do Seminário das Missões, revela a organização em nota enviada ao Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura.

A interpretação, agendada para as 16h00 (cf. programa, em baixo), será antecedida por uma conversa com Juan Paradell e com José Carlos de Miranda, da Universidade Católica, que falará do porquê do órgão como instrumento da Igreja e como se encara a presença de outros instrumentos, alguns de culturas diferentes, nas igrejas em Portugal.

A programação do festival, que decorre de 28 de abril a 7 de maio, «continua-se a apostar num conjunto de concertos de qualidade excecional, aliados a visitas aos instrumentos mais importantes e uma conferência, em modo de conversa».

A «cabeça de cartaz» da iniciativa é a apresentação em concerto, «pela primeira vez», do órgão portativo do Tesouro da sé bracarense, «pequeno instrumento, dos mais antigos de Portugal, que nunca foi ouvido em concerto e, para o qual, ainda é necessário um “foleiro” para “dar aos foles” e assim o órgão poder tocar».

A peça «constitui uma das mais valiosas peças museológicas de Braga que será apresentado com uma orquestra de instrumentos antigos, executando obras nunca antes ouvidas» na cidade.



«Os objetivos que norteiam o Festival permanecem os mesmos desde o seu lançamento: dar voz aos cerca de 50 órgãos existentes em Braga, divulgar a música de qualidade e trazer à audição peças únicas “perdidas” nos arquivos; dar um contributo para a afirmação nacional e internacional de Braga no panorama cultural»



O «casamento improvável» entre órgão e saxofone e entre órgão e flauta de Pan, com a flautista holandesa Gerlinda van den Berg, «uma das mais conceituadas intérpretes mundiais» do instrumento, constituem também destaques do festival, que abre com «um magnífico concerto a dois órgãos, na catedral».

«Sublinhamos que é o único momento no ano em que existe a possibilidade de ouvir os grandes órgãos da sé a tocarem ao mesmo tempo», realça a nota de imprensa, que salienta igualmente o concerto de 6 de maio, com 80 crianças dos Pequenos Cantores de Esposende, em que se cantarão «alguns dos temas mais belos alguma vez compostos», a par da estreia de uma obra de um compositor bracarense.

O concerto de encerramento do festival conta com a participação da orquestra da Universidade do Minho sob a direção de Lorenzo Ghielmi, «o consagrado músico italiano especialista em Música Antiga, com numerosas gravações para as mais conceituadas editoras discográficas».

O órgão de tubos do Pópulo, instrumento inoperacional desde 1834, quando o edifício conventual se transformou em quartel, e que foi candidatado a fundos para restauro, é a escolha para a visita guiada, que «abordará o funcionamento e a constituição de um órgão de tubos, sendo mesmo pretexto para se abordar, a título de exemplo, o que não se deve fazer ao património».

«Os objetivos que norteiam o Festival permanecem os mesmos desde o seu lançamento: dar voz aos cerca de 50 órgãos existentes em Braga, divulgar a música de qualidade e trazer à audição peças únicas “perdidas” nos arquivos; dar um contributo para a afirmação nacional e internacional de Braga no panorama cultural», assinalam os promotores.

Além de organizar o evento, a arquidiocese de Braga, através do Instituto de História e Artes Cristãs, está empenhada no estudo e inventário de todos os órgãos, «trabalho que terá a sua apresentação para breve».

«Também num futuro próximo será lançado um concurso de composição de novas obras musicais para órgão ibérico, bem como um prémio para jovens intérpretes», anuncia a nota de imprensa.



Imagem Programa

 

SNPC
Publicado em 08.03.2017

 

 

 
Relacionados
Destaque
Pastoral da Cultura
Vemos, ouvimos e lemos
Perspetivas
Papa Francisco
Teologia e beleza
Impressão digital
Pedras angulares
Paisagens
Umbrais
Evangelho
Vídeos