Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura
Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura

Cinema: “Fátima – O derradeiro mistério”

«Uma história dramatizada sobre a leitura contemporânea do papel das aparições» da Virgem Maria na Cova da Iria «na queda do comunismo» e o «seu impacto na vida atual das pessoas» é a proposta do documentário “Fátima – O derradeiro mistério”, em exibição em 16 cidades de Portugal.

A descrição, a que se junta o destaque que o trabalho dá ao papa S. João Paulo II, foi extraída da declaração dos jurados que no início do mês atribuíram ao filme do realizador espanhol Andrés Garrigó o prémio para melhor longa-metragem no Festival Niepokalana, em Varsóvia.

«Terá Fátima marcado a História do mundo? Uma série de estranhas coincidências parecem indicar que as misteriosas aparições de Fátima alteraram o curso da História dos últimos 100 anos. Com base em dados reais e na opinião de peritos internacionais, o filme revela eventos ignorados oferecendo-nos uma entusiasmante visão global do fenómeno», lê-se numa nota enviada ao Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura.

Entre as cerca de três dezenas de especialistas consultados, de 13 países, a lista de portugueses, composta por figuras preponderantes no clero, na investigação histórica e teológica bem como na arte e cultura, é significativa: cardeais José Saraiva Martins e António Marto, P. Carlos Cabecinhas, Ir. Ângela Coelho, Pedro Valinho Gomes, Marco Daniel Duarte, João César das Neves, Bruno Cardoso Reis e Manuel Arouca.



A narrativa ficcionada centra-se em Mónica, editora de cinema à procura de trabalho, que recebe o contacto de um produtor que quer exibir um filme sobre as consequências das aparições. «Ainda que reticente devido ao seu agnosticismo, aceita»



Os produtores estimam que o documentário seja exibido em 21 países até ao fim do ano: «A verdade é que o êxito do público supera as nossas previsões já desde a sua estreia em Espanha», comentou Andrés Garrigó, que relaciona as visões dos pastorinhos com a queda da União Soviética e «os graves perigos» que se vivem hoje, como o papa Francisco reitera ao falar da «terceira guerra mundial em partes».

Estreado em Espanha em 2017, por ocasião do centenário das aparições em Fátima, o filme acabado de rodar em março do ano passado, entretece cenas de ficção com recriações das aparições, a par de imagens de arquivo e entrevistas a 30 peritos de 13 países.

A narrativa ficcionada centra-se em Mónica (Eva Higueras), editora de cinema à procura de trabalho, que recebe o contacto de um produtor que quer exibir um filme sobre as consequências das aparições. «Ainda que reticente devido ao seu agnosticismo, aceita. Enquanto monta as imagens, desfilam perante os seus olhos acontecimentos extraordinários que a inquietam», refere o resumo do filme.

O documentário de 80 minutos pode ser visto em salas de Braga, Caldas da Rainha, Coimbra, Funchal, Gondomar, Leiria, Lisboa, Paços de Ferreira, Ponta Delgada, Porto, Rio Maior, Santarém, Seixal, Torres Novas, Vila Real e Viseu. O DVD do filme estará disponível em Portugal a partir de 26 de outubro.









 

Rui Jorge Martins
Imagem: D.R.
Publicado em 12.10.2018

 

 

 
Relacionados
Destaque
Pastoral da Cultura
Vemos, ouvimos e lemos
Perspetivas
Papa Francisco
Teologia e beleza
Impressão digital
Pedras angulares
Paisagens
Umbrais
Mais Cultura
Vídeos