Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura
Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura

Equipa de atletismo do Vaticano acolhe migrantes africanos muçulmanos

Pés endurecidos pelo frio ou queimados pela areia do deserto, que escapam da violência e pisam arame farpado, afundando-se na água e na lama. Pés chagados de quilómetros de caminho em rotas remotas de esperança.

Os pés dos migrantes contam, mais do que muitas palavras, o horror e o desespero de vidas em fuga. Como a de Jallow Buba, 20 anos, fugido ao inferno da Gambia e desembarcado em Itália passando pelo Senegal, Mali, Argélia e Líbia, onde foi por três vezes vítima de bandos criminosos que o venderam. Ou a vida de Musa Barry, 19 anos, também gambiano, que atravessou meia África experimentando na própria pele medos e abusos.

Agora, esses pés, habituados a mexerem-se velozmente para fugir à violência, fome e pobreza, vão lançar-se numa corrida que os ajudará a integrarem-se, a encontrarem novos amigos e descobrir mais um sorriso. Eis o significado do gesto da Athletica Vaticana, equipa de atletismo composta por 70 colaboradores da Santa Sé, de “adotar” Jallow e Musa, ambos muçulmanos, hóspedes da instituição Auxilium.

Esta sexta-feira, 9 de março, o cardeal Gianfranco Ravasi, presidente do Conselho Pontifício da Cultura, sob cuja égide a Secretaria de Estado do Vaticano colocou a equipa, vai entregar a camisola aos dois “reforços”. Com ele estará a capitã e o decano da equipa, a farmacêutica Michela Ciprietti e o tipógrafo Giancarlo Giannini.

«É um gesto de acolhimento, solidariedade e integração concreta através do desporto, para relançar os apelos do papa, e em sintonia com a decisão do Comité Olímpico Internacional de criar uma equipa de atletas refugiados», explicou o sub-secretário do Conselho Pontifício, P, Melchor Sánchez de Toca.

Os dois novos corredores da Athletica Vaticana, que treinarão com a equipa e receberão os conselhos dos técnicos dos campeões do Grupo Desportivo Fiamme Gialle, ligado ao corpo policial Guarda Financeira, vivem num centro de acolhimento para requerentes de asilo em Castelnuovo di Porto, onde o papa Francisco se deslocou em março de 2016 para celebrar a missa de Quinta-feira santa, que incluiu o rito do lava-pés.

A equipa de atletismo do Vaticano estreou-se em Roma a 17 de setembro de 2017, na primeira meia-maratona inter-religiosa "Via Pacis".



 

In L'Osservatore Romano, 9.3.2018
Trad. / edição: SNPC
Imagem: D.R.
Publicado em 08.03.2018

 

 
Relacionados
Destaque
Pastoral da Cultura
Vemos, ouvimos e lemos
Perspetivas
Papa Francisco
Teologia e beleza
Impressão digital
Pedras angulares
Paisagens
Umbrais
Mais Cultura
Vídeos