Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura
Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura

Entre Deus e os Homens - A arte na Igreja de Viseu: Apresentação

Imagem © Departamento dos Bens Culturais da Diocese de Viseu

Entre Deus e os Homens - A arte na Igreja de Viseu: Apresentação

O Departamento dos Bens Culturais da diocese de Viseu, em parceria com espaços expositivos da cidade, apresenta até 18 de fevereiro a exposição "Entre Deus e os Homens - A Arte da Igreja de Viseu".

A iniciativa integra-se nas comemorações dos 500 anos da dedicação da catedral, a que se associam o Museu Nacional de Grão Vasco, a Santa Casa da Misericórdia de Viseu e a Câmara Municipal, entidades que celebram igualmente datas jubilares.

A exposição, que ocorre em simultâneo com o sínodo diocesano, com conclusão em 2016, «pretende mostrar a riqueza de uma Igreja viva que, ao longo da sua história foi cultivando e expressando a sua fé, através da arte, nos diferentes estilos que o tempo foi criando», lê-se na página da diocese viseense.

No conjunto dos quatro núcleos, a mostra enquadra as 170 obras expostas, oriundas de 102 paróquias - algumas retiradas do culto e outras abandonadas em arrecadações -, num conceito condutor que mostra os mistérios da fé cristã, desde a Criação, passando pela Encarnação e presença humana de Jesus, não reconhecido, até ao fim dos tempos (Museu Nacional de Grão Vasco).

No Museu da Misericórdia, a arte mostra "Maria a Mãe" e construtora de uma Igreja viva, a par de muitos outros “construtores dessa Igreja”. Na Casa-Museu Almeida Moreira mostra-se um espólio artístico que reflecte a Igreja – Comunidade que vive e reza, predominando “ex-votos”, uma forma popular de expressão de fé vivida em momentos críticos bem resolvidos. 

Na catedral, onde decorrem obras de beneficiação ao longo do tempo da exposição, são apresentadas duas imagens no baptistério.

No âmbito da exposição, que encerra no dia em que a diocese evoca o seu padroeiro, S. Teotónio, realizou-se em setembro uma mostra de obras criadas por artistas plásticos que recriaram as memórias artísticas da fé da Igreja viseense.

A iniciativa do Departamento dos Bens Culturais da diocese levou ao claustro da catedral oito artistas plásticos que reinterpretaram, em múltiplos estilos, temas de muitas das esculturas, pinturas, azulejos, objectos e construções que os inspiraram.

O Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura apresenta imagens de algumas das obras expostas nos quatro núcleos da exposição, acompanhadas dos respetivos textos de enquadramento. A divisão dos conteúdos, acessíveis no separador "Relacionados", logo após este texto, segue a divisão concebida pelos organizadores.

 

Apresentação da exposição
Departamento dos Bens Culturais da Diocese de Viseu

Alicerçada no reconhecimento de que o património constitui a expressão da fé das várias gerações de fiéis que ao longo dos séculos recorreram aos artistas para corporizarem não só a beleza material, mas essencialmente a beleza da mensagem proposta pela Palavra de Deus, esta exposição pretende ser um testemunho de uma Igreja viva, que acolhe a Palavra e a vive em ação e presença, a anuncia como caminho da salvação, constituindo a arte uma forma privilegiada de anúncio e de caminho com o Ressuscitado.

O património participa da dinâmica de relações, de sentimentos e de pensamentos que se estabelecem entre Deus e os homens. Deus revela-se através da beleza da arte, da função e do significado assumido por cada objeto utilizado na Igreja, a arte constitui uma manifestação do amor, da caridade, da proposta de salvação de Deus para a humanidade. Em simultâneo, a arte aproxima os homens de Deus, é caminho, através dela os homens compreendem e vivem a Palavra de Deus. Ela faz parte da espiritualidade vivida das comunidades da Igreja de Viseu.

As 170 peças presentes na exposição são representativas do universo do património religioso da diocese de Viseu. Apresentam-se obras de materiais e tipologias diferenciadas (escultura, pintura, ourivesaria, paramentaria, talha, etc.), do século XIV ao XXI, umas de maior qualidade artística e outras reveladoras de execuções mais ingénuas e populares, mas todas manifestações da verdade e da beleza da Igreja, do crer e viver a fé das comunidades.

 

Edição: Rui Jorge Martins
Publicado em 27.10.2015

 

 

 
Imagem © Departamento dos Bens Culturais da Diocese de Viseu
Deus revela-se através da beleza da arte, da função e do significado assumido por cada objeto utilizado na Igreja, a arte constitui uma manifestação do amor, da caridade, da proposta de salvação de Deus para a humanidade
A arte aproxima os homens de Deus, é caminho, através dela os homens compreendem e vivem a Palavra de Deus. Ela faz parte da espiritualidade vivida das comunidades da Igreja de Viseu
As 170 peças presentes na exposição são representativas do universo do património religioso da diocese de Viseu. Apresentam-se obras de materiais e tipologias diferenciadas (escultura, pintura, ourivesaria, paramentaria, talha, etc.)
Relacionados
Destaque
Pastoral da Cultura
Vemos, ouvimos e lemos
Perspetivas
Papa Francisco
Teologia e beleza
Impressão digital
Pedras angulares
Paisagens
Umbrais
Evangelho
Vídeos