Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura
Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura

«É missão da Igreja ajudar os jovens a viver a cultura por dentro, não por fora, como espetadores»

«É missão da Igreja ajudar os jovens a viver a cultura por dentro, não por fora, como espetadores»

Imagem D.R.

«Ver e viver Deus na cultura e fazer também uma experiência cultural de Deus»: este foi um dos desafios lançados por Catarina Farinha, de 25 anos, na Jornada Nacional da Pastoral da Cultura que no sábado debateu, em Fátima, o tema "'Out of the box': A relação dos jovens com a Cultura".

No seu testemunho, que pode ser visto por completo no vídeo a seguir a este texto, a licenciada em Farmácia Biomédica e finalista de Direito vincou que «é missão da Igreja ajudar os jovens a viver a cultura por dentro, não por fora, como espetadores».

A voluntária em projetos com crianças e jovens apontou o «contraste» entre «uma juventude que é espetadora de cultura e aquela que é criadora e produtora de cultura», até porque a primeira «é muito mais lucrativa», dado que «paga bilhete», enquanto a segunda «quer ser paga».

Catarina Farinha salientou que «os contextos académico e universitário serão, talvez, o terreno mais fértil e a oportunidade mais preciosa para a Igreja reencontrar e ressurgir com rosto diferente para estes jovens, que, em muitos casos, já viveram o "sacramento do adeus, o Crisma».

Com frequência a transição para a universidade «marca uma cisão com o tempo em que se vive com os pais, com o tempo em que se é totalmente dependente e se passa a ser um pouco mais autónomo e responsável, e também com o tempo em que se vai à missa, ao grupo de jovens», como acontece em Coimbra, em que a maioria dos estudantes são provenientes de fora da cidade.



O «extremamente difícil» é conseguir «manter grupos com alguma qualidade e trabalho continuado, como coros, tunas, grupos de fado e teatro», num tempo em que a mobilidade dos alunos é maior do que nas gerações anteriores e multiplicam-se polos de atração



«É um momento absolutamente crítico para a Igreja e para a Pastoral Universitária» de procurarem chegar a uma camada jovem que vive o «contraste brutal entre um acréscimo de interpelação», por exemplo, nas redes sociais, «mas, por outro lado, um decréscimo de profundidade», assinalou.

A Igreja pode ter uma «intervenção radical na cultura dos jovens» ao «promover uma aproximação cultural para além da superfície, que é um pouco a abordagem que chega atualmente aos jovens», referiu Catarina, ligada ao Centro Universitário Manuel da Nóbrega, em Coimbra.

Em vez de apostar em propostas paralelas, «o caminho da Igreja talvez deva passar mais por perceber como é que os jovens podem viver cristãmente» iniciativas de génese não católica, como, por exemplo, as dezenas de festivais de música que ocorrem no verão, e contribuir para que possam fazer «comunhão entre a sua fé e o que é a sua realidade cultural».

Depois de frisar que «há uma diferença muito maior nos mecanismos de cultura e comunicação desta geração em face da geração anterior, e desta com as que lhe antecederam», Catarina considerou que «há uma crise, não no sentido de morte ou de beira do abismo, mas de fertilidade e transformação».

«O compromisso é uma pedra angular e um grande desafio no que diz respeito à relação entre jovens e cultura. Não considero que os jovens estejam alienados da cultura, qualquer que seja a definição que queiramos fazer dela. Pelo contrário», sustentou.

Enquanto membro do Orfeão Académico de Coimbra, a estudante salienta que o «extremamente difícil» é conseguir «manter grupos com alguma qualidade e trabalho continuado, como coros, tunas, grupos de fado e teatro», num tempo em que a mobilidade dos alunos é maior do que nas gerações anteriores e multiplicam-se polos de atração.

«O que o jovem procura muitas vezes é a ideia de conhecer outros países, outras realidades, outras culturas», como é possibilitado pelo programa Erasmus ou, anteriormente, pelo Interrail.









 

SNPC
Publicado em 05.06.2017

 

 
Relacionados
Destaque
Pastoral da Cultura
Vemos, ouvimos e lemos
Perspetivas
Papa Francisco
Teologia e beleza
Impressão digital
Pedras angulares
Paisagens
Umbrais
Mais Cultura
Vídeos