Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura
Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura

Pastoral da Cultura de Viseu inicia roteiro de apresentação da história da diocese

Pastoral da Cultura de Viseu inicia roteiro de apresentação da história da diocese

Imagem Viseu | jpcasais/Bigstock.com

O departamento da Pastoral da Cultura da Vigararia da Evangelização, Culto e Cultura de Viseu inicia este domingo o roteiro de apresentação, nas várias regiões da diocese, dos três volumes da investigação histórica sobre as origens e o desenvolvimento da Igreja viseense.

A “História da Diocese de Viseu”, lançada no fim do sínodo diocesano, foi coordenada por José Pedro Paiva, diretor da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra.

«Aqui se conta, pela mão dos historiadores, como se foi construindo esta “Ecclesia”, reconstituindo e explicando como se formou e desenvolveu, os recursos materiais e humanos de que beneficiou e mobilizou para o efeito, a forma como configurou o espaço físico e o universo imaterial das consciências individuais e coletivas», refere o investigador.

«Percorrendo mil e quinhentos anos de história, a obra tem mil e oitocentas páginas, no conjunto dos três volumes amplamente ilustrados, em que se divide», sublinha a página da diocese.

O estudo resulta «de muita investigação aturada, tanto em arquivos históricos públicos, como de instituições particulares, tanto em Portugal, como no estrangeiro. Para além dos documentos escritos, houve trabalhos de arqueologia e de outras áreas de investigação, buscando uma “leitura abrangente” da realidade religiosa diocesana, abarcando a sociologia, a antropologia e outras ciências humanas, no que elas contribuem para o entendimento e interpretação da realidade estudada», refere a mesma fonte.



Através de cerca de 1800 páginas e perto de 300 ilustrações será ainda possível entender como é que o cristianismo foi vivido tanto por clérigos quanto pelos fiéis, buscando-lhe a configuração da crença, a(s) linguagem(ens) com que era comunicado e interiorizado, o modo como era sentido, mas também a coerência de significado que o tornou operativo enquanto religião e experiência de vida em sociedade»



«Norteada exclusivamente por critérios históricos, propõe uma visão original e absolutamente inédita no panorama da historiografia portuguesa e internacional a respeito dos olhares e perspetivas que devem pautar um estudo desta natureza. O cristianismo inundou os dias dos crentes e moldou de modo muito impressivo as suas vidas. As marcas do sagrado cristão no território e nos corações dos homens e mulheres que o foram habitando cavaram vincos profundíssimos. É este o campo de indagação que se visa atingir», escreve José Pedro Paiva.

O investigador assinala que «através de cerca de 1800 páginas e perto de 300 ilustrações será ainda possível entender como é que o cristianismo foi vivido tanto por clérigos quanto pelos fiéis, buscando-lhe a configuração da crença, a(s) linguagem(ens) com que era comunicado e interiorizado, o modo como era sentido, mas também a coerência de significado que o tornou operativo enquanto religião e experiência de vida em sociedade».

A apresentação da obra será feita pela coordenadora do Departamento dos Bens Culturais da diocese, e também coautora, começando a 27 de novembro em Santa Comba Dão, no auditório paroquial, às 15h00, em sessão que conta com a atuação do Coro da Filarmónica da cidade.



 

Rui Jorge Martins
Publicado em 22.11.2016

 

 
Relacionados
Destaque
Pastoral da Cultura
Vemos, ouvimos e lemos
Perspetivas
Papa Francisco
Teologia e beleza
Impressão digital
Pedras angulares
Paisagens
Umbrais
Mais Cultura
Vídeos