Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura
Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura

Cultura e economia são «aparentemente» pouco amigáveis mas pedem «casamento feliz», afirma bispo

Imagem D. Pio Alves | D.R.

Cultura e economia são «aparentemente» pouco amigáveis mas pedem «casamento feliz», afirma bispo

A cultura e a economia é um «binómio aparentemente pouco amigável», mas dada a sua «inegável importância» e o seu peso na sociedade, faz todo sentido que se potencie um casamento feliz», declarou hoje, em Fátima, o presidente da Comissão Episcopal da Cultura, Bens Culturais e Comunicações Sociais.

A afirmação de D. Pio Alves, bispo auxiliar do Porto, fez parte da intervenção de abertura da 12.ª Jornada Nacional da Pastoral da Cultura, dedicada ao tema "Cultura e economia: implicações e desafios".

«Existem, certamente, pontes» entre as duas áreas, pelo que «interessa descobri-las, consolidá-las, enriquecendo-as com a matriz dos valores cristãos fundamentais», acentuou.

O prelado recordou que a escolha do tema da Jornada decorreu da visita ao Vaticano que os bispos de Portugal realizaram em setembro de 2015, onde além de se terem reunido com o papa Francisco visitaram diversos departamentos da cúria da Santa Sé.

Entre as reuniões incluiu-se o encontro com o Conselho Pontifício da Cultura, em que «foi sublinhada a particular importância e urgência do aprofundamento da relação cultura-economia / economia-cultura», referiu D. Pio Alves.

Durante a intervenção o responsável recordou as palavras do papa Francisco, na exortação apostólica "A alegria do Evangelho", quando destacou «a enorme importância que tem uma cultura marcada pela fé», porque, «não obstante os seus limites», tem «contra os ataques do secularismo atual».

«Neste pressuposto, será mais realizável o desiderato do Santo Padre: “O dinheiro deve servir, e não governar”», acrescentou.

Após a saudação de D. Pio Alves e de José Carlos Seabra Pereira, presidente do Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura, organismo que organiza a Jornada, realiza-se a conferência inicial, proferida por António Lobo Xavier, membro do Conselho de Estado e administrador de empresas.

 

Intervenção de abertura - Texto integral
D. Pio Alves
12.ª Jornada Nacional da Pastoral da Cultura
Fátima, 4.6.2016

No âmbito da Visita ad Limina do Episcopado Português, no passado mês de setembro (Roma, 04-12), teve lugar a receção no Conselho Pontifício para a Cultura.

Depois da apresentação sumária da estrutura organizativa e principais iniciativas levadas a cabo pelo Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura, ouvimos o grato comentário do Presidente do Conselho. De seguida, Sua Eminência o Cardeal Ravasi informou-nos das principais linhas de atuação do Conselho Pontifício e estimulou-nos a dar-lhes a devida atenção, de acordo com as nossas circunstâncias.

Entre estas, foi sublinhada a particular importância e urgência do aprofundamento da relação cultura-economia / economia-cultura. Trata-se de um binómio aparentemente pouco amigável. Mas, dada a inegável importância de cada uma das partes e do seu peso na sociedade, faz todo sentido que se potencie um casamento feliz. Existem, certamente, pontes: interessa descobri-las, consolidá-las, enriquecendo-as com a matriz dos valores cristãos fundamentais.

“Não convém ignorar, recorda o Papa Francisco, a enorme importância que tem uma cultura marcada pela fé, porque, não obstante os seus limites, esta cultura evangelizada tem, contra os ataques do secularismo atual, muitos mais recursos do que a mera soma dos crentes” (EG 68). Neste pressuposto, será mais realizável o desiderato do Santo Padre: “O dinheiro deve servir, e não governar” (EG 58).

O Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura assumiu o desafio desta reflexão. No texto de apresentação desta Jornada desdobrou o objetivo deste aprofundamento numa vasta multiplicidade de interrogações. Para as respostas, ou uma aproximação às respostas, convidou um notável elenco de personalidades que, com a participação de todos, nos ajudarão a fazer mais luz sobre este binómio.

Agradeço a presença de todos; agradeço a generosa colaboração dos nossos convidados; e agradeço ao Secretariado a organização da Jornada.

 

Redação: Rui Jorge Martins
Publicado em 04.06.2016

 

 
Imagem D. Pio Alves | D.R.
No texto de apresentação desta Jornada, o Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura desdobrou o objetivo deste aprofundamento numa vasta multiplicidade de interrogações
Para procurar uma aproximação às questões colocadas pelo tema da Jornada foi convidado um notável elenco de personalidades que, com a participação de todos, nos ajudarão a fazer mais luz sobre a relação entre cultura e economia
Relacionados
Destaque
Pastoral da Cultura
Vemos, ouvimos e lemos
Perspetivas
Papa Francisco
Teologia e beleza
Impressão digital
Pedras angulares
Paisagens
Umbrais
Evangelho
Vídeos