Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura
Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura

Coro estreia "Stabat Mater", de António Pinho Vargas, e prepara disco de música sacra

Imagem António Pinho Vargas | D.R.

Coro estreia "Stabat Mater", de António Pinho Vargas, e prepara disco de música sacra

A igreja matriz de Esposende recebe a 19 de março, pelas 21h30, a estreia da obra "Stabat Mater", do compositor português António Pinho Vargas, encomenda do Coro de Pequenos Cantores de Esposende (CPCE).

«Escrever para um coro de crianças é diferente de escrever para um coro como, por exemplo, o Coro Gulbenkian, para o qual já tinha escrito três obras para Coro e Orquestra: "Judas" (2002), "Requiem" (2012) e "Magnificat" (2013), explicou o autor em entrevista à página "Xpressingmusic".

António Pinho Vargas lembra que o "Stabat Mater", «texto originário do século XIII, foi objeto de numerosas versões por parte de muitos compositores da história da música», encontrando-se «grandes diferenças no texto escolhido por cada um, dado o facto de ser longo».

À semelhança de outros compositores, António Pinho Vargas selecionou excertos do texto: «Escolhi os primeiros tercetos, muito belos, aqueles que relatam em sucessão a dor da mãe perante o seu filho morto na cruz».

«Face à limitação da própria encomenda - cerca de 15 minutos - depois desse grupo inicial, usei para terminar o último do texto canónico estabelecido que tem um claro carácter conclusivo», acrescentou.

Para António Pinho Vargas «a decisão menos habitual» em obras para coros de crianças «foi a escolha de piano e violino: «Na verdade a obra é intercalada de vários interlúdios, curtos, apenas para piano e violino ou só violino etc. Reside nessa formação inabitual o carácter de interrupção e surpresa que creio existir na obra como um todo».

«Essa estrutura formal, livre e de acordo com a minha conceção que se foi formando ao longo da composição, resulta numa narrativa musical muito específica que me satisfez bastante. Julgo que sem essa decisão relativa à instrumentação a obra seria outra», referiu.

A maestrina salientou «a honra» do agrupamento por poder interpretar uma obra de António Pinho Vargas, a que acresce o facto de ter sido composta para o Coro de Pequenos Cantores de Esposende, formado por cerca de 70 membros entre os 13 e 14 anos de idade.

«A estreia desta obra neste contexto deve-se em muito à equipa que está na organização da Semana Santa de Esposende e por tal só podemos agradecer o grande esforço realizado neste sentido», afirmou Helena Venda Lima.

Durante o concerto serão interpretados três motetes da renascença, "Recordare Domino", de Elzéar Genet, "Adoramus Te Christe", de Orlando Lassus, e "O vos omnes", de G. Asola, uma adaptação da obra "Miserere", de Mozart, dois motetes "a capella", "O Bone Jesu", de A. Bruckner, e "Adoramus te", de J. Brahms, e a estreia de um motete de Paulo Bastos, "Ave Verum", que antecede «o momento auge», a obra de António Pinho Vargas.

Depois de ter estreado o "Magnificat" de Fernando Lapa e lançado o disco "Tempo de Natal", o coro prepara-se para gravar o próximo disco, em 2017, dedicado à música sacra portuguesa.

O CD incluirá as obras que vão ser estreadas no concerto de 19 de março, um motete do compositor residente, Osvaldo Fernandes, uma Missa de Paulo Bastos e um Salmo de «um grande compositor português», que não foi revelado: «Vamos deixar a surpresa para o próximo ano».

«Em setembro devemos realizar uma pequena digressão para divulgação do repertório sacro português escrito e dedicado aos nossos projetos, o Coro de Pequenos Cantores de Esposende e o Coro Ars Vocalis, um coro júnior que está a dar os primeiros passos sendo o coro de continuidade do CPCE», adiantou Helena Venda Lima.

A programação cultural da Semana Santa de Esposende inclui, a 20 de março, o "Concerto de Páscoa", pela "Atlantic Coast Orchestra", na igreja matriz, às 16h30, e no dia 23 o "Concerto sobre o tema da Paixão", no mesmo local, às 21h30, com a participação do Coro de Câmara da Igreja Matriz.

De 1 a 10 de abril está patente no Centro de Informação Turística de Esposende uma exposição de fotografias sobre a Semana Santa na cidade.

 

Rui Jorge Martins
Publicado em 29.02.2016

 

 
Imagem António Pinho Vargas
«A estreia desta obra neste contexto deve-se em muito à equipa que está na organização da Semana Santa de Esposende e por tal só podemos agradecer o grande esforço realizado neste sentido»
O CD incluirá as obras que vão ser estreadas no concerto de 19 de março, um motete do compositor residente, Osvaldo Fernandes, uma Missa de Paulo Bastos e um Salmo de «um grande compositor português», que não foi revelado: «Vamos deixar a surpresa para o próximo ano»
Relacionados
Destaque
Pastoral da Cultura
Vemos, ouvimos e lemos
Perspetivas
Papa Francisco
Teologia e beleza
Impressão digital
Pedras angulares
Paisagens
Umbrais
Evangelho
Vídeos