Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura
Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura

Colóquio explora ligações da espiritualidade e cultura das festas do Espírito Santo com cuidado pelos pobres

Colóquio explora ligações da espiritualidade e cultura das festas do Espírito Santo com cuidado pelos pobres

Imagem D.R.

O Serviço Diocesano da Pastoral da Cultura da diocese de Angra, em parceria com a Ouvidoria de Ponta Delgada, promove esta quarta-feira um colóquio sobre a relação entre as festas do Divino Espírito Santo e a ação social dos cristãos.

A iniciativa, intitulada "O Pai dos pobres: Culto ao Espírito Santo e Pastoral Social", é aberta a «todas as pessoas interessadas no aspeto cultural e social do culto tradicional ao Espírito Santo, especialmente irmãos, mordomos, imperadores e foliões do Espírito Santo», refere uma nota enviada ao Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura.

A sessão inicia-se com três intervenções formativas, por Ricardo Tavares ("Pensamento bíblico"), Piedade Lalanda ("Igreja e sociedade") e José Reis ("Mundo do "trabalho), seguindo-se o colóquio, moderado por Joana Simas, que abre o encontro à intervenção do público.

Esta é a segunda iniciativa organizada pela Pastoral da Cultura diocesana que relaciona as festas de forte implantação religiosa e cultural no arquipélago dos Açores com a atenção aos mais pobres, depois da ação formativa "O Pai dos pobres: Bíblia, filosofia e sociologia no culto ao Espírito Santo", realizada em março.



O «culto secular potencia a vivência de atitudes e valores verdadeiramente humanistas e solidários, como seja a distribuição de alimentos pelos mais pobres, as refeições oferecidas a todas pessoas e o convívio entre vizinhos e amigos»



«A formação teológica, bíblica e até filosófica é um dos grandes objetivos deste colóquio, mas também é um desafio à teologia oficial para se enriquecer com elementos da teologia prática», explicou na ocasião o responsável pelo Serviço Diocesano da Pastoral da Cultura da diocese de Angra, padre Ricardo Tavares, citado pela página Igreja Açores.

As festas do Divino Espírito Santo, levadas pelos emigrantes açorianos para os países de acolhimento, realizam-se no segundo fim de semana de julho. Na edição de 2016 foram distribuídas 13 mil sopas e doses de arroz doce, enquanto que o cortejo mobilizou 1250 figurantes (média de 45 pessoas por freguesia), quatro grupos folclóricos e 13 folias, 60 carros alegóricos e 35 carros de bois, refere a página "Igreja Açores".

«Em cada lugar por onde se passa respira-se um ambiente de festa – as ruas são revestidas de lâmpadas e bandeirinhas, as comissões e os seus ajudantes preparam as mesas para o jantar e, ao cair da noite, as pessoas caminham rumo ao império para tomar parte no terço e no animado serão», escreveu Alexandre Medeiros no jornal "A União".

No artigo é destacado que «as festas do Espírito Santo fazem parte da alma dos Açorianos» e que esse «culto secular potencia a vivência de atitudes e valores verdadeiramente humanistas e solidários, como seja a distribuição de alimentos pelos mais pobres, as refeições oferecidas a todas pessoas e o convívio entre vizinhos e amigos, sempre acompanhado pela música do momento e pelos tradicionais e saborosos petiscos».

O encontro desta quarta-feira realiza-se no Salão Cultural e Recreativo Nossa Senhora das Neves, na Relva, concelho de Ponta Delgada, ilha de S. Miguel, Açores, às 20h30.



 

SNPC
Com "Igreja Açores"
Publicado em 24.04.2017

 

 
Relacionados
Destaque
Pastoral da Cultura
Vemos, ouvimos e lemos
Perspetivas
Papa Francisco
Teologia e beleza
Impressão digital
Pedras angulares
Paisagens
Umbrais
Mais Cultura
Vídeos