Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura
Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura

Cinema, música e exposições assinalam centenário da restauração da diocese de Leiria-Fátima

Expressões artísticas como um ciclo de cinema, concertos e exposições integram a programação da Festa da Fé, com a qual a diocese de Leiria-Fátima assinala, de 15 a 17 de junho, o centenário da restauração.

O teatro Miguel Franco, em Leiria vai exibir quatro filmes, refere uma nota enviada hoje ao Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura: 10 de junho, 17h00, “A longa estrada para casa”; 14 de junho, 21h30, “Terapia para dois”; 16 de junho, 17h00, “Um sonho possível”; 16 de junho, 21h30, “A Família Bellier”.

Uma das outras novidades Festa da Fé, com iniciativas que se englobam nas dinâmicas do «sair, escutar e festejar», é a apresentação de um mapa gigante da diocese, com maquetas das 75 igrejas paroquiais, expostas num espaço de 1000 m2 na praça Paulo VI.

As comemorações estendem-se a outros locais públicos de Leiria: no jardim estará o palco e as tasquinhas, enquanto que o mercado de Sant’Ana recebe a “Festa dos Carismas”, que reúne congregações religiosas e movimentos eclesiais presentes na diocese.

A sessão de abertura está agendada para as 21h30, no teatro José Lúcio da Silva, com um concerto pela Banda Sinfónica da Polícia de Segurança Pública. À partir das 22h00, no palco do jardim, a música é outra, com os “Combos”, do Instituto Jovens Músicos e "Rockschool".

Estão igualmente agendadas iniciativas para crianças e adolescentes, o Festival da Canção Jovem e momentos de oração e celebração, como a missa na praça da República, seguida de cortejo para a sé de Leiria, que assinala, no domingo, o fim da Festa da Fé.

Durante os dias da iniciativa estarão expostas no Museu de Leiria as três rosas de ouro oferecidas ao Santuário de Fátima pelos papas Paulo VI (1965), Bento XVI (2010) e Francisco (2017), na mostra temporária “As Rosas de Pedro e as Rosas de Maria”.

As rosas de ouro são «um símbolo, enviado pelos papas a soberanos, príncipes, rainhas e outras eminentes personagens, como sinal de particular benevolência ou em reconhecimento de assinalados serviços prestados à Igreja ou a bem da sociedade; também a santuários insignes, igrejas e mesmo cidades que desejam distinguir».

O centenário é também evocado numa exposição que se estende por cinco áreas - diocese, edifícios, bispos, rostos e datas - patente na "Tenda da Memória", instalada no jardim Luís de Camões.

A diocese de Leiria foi criada a 22 de maio de 1545, pelo papa Paulo III, com a primeira sé a ser a igreja de Nossa Senhora da Pena, dentro do castelo. Foi extinta a 4 de setembro de 1882, por motivos políticos e após um período de grandes provações, iniciado com as invasões francesas.

Restaurada a 17 de janeiro de 1918, pelo papa Bento XV, teve como primeiro bispo D. José Alves Correia da Silva. A 13 de maio de 1984 foi dada à diocese a designação de Leiria-Fátima. O atual bispo, D. António Marto, será criado cardeal pelo papa Francisco a 28 de junho, no Vaticano.



 

SNPC
Imagem: Sé de Leiria | Solenidade do Corpo de Deus | 2018 | © Diocese de Leiria-Fátima
Publicado em 06.06.2018 | Correção da data de criação cardinalícia (antes 29 de junho) em 08.06.2018

 

 

 
Relacionados
Destaque
Pastoral da Cultura
Vemos, ouvimos e lemos
Perspetivas
Papa Francisco
Teologia e beleza
Impressão digital
Pedras angulares
Paisagens
Umbrais
Mais Cultura
Vídeos