Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura
Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura

Centro Nacional de Cultura propõe curso livre sobre os Caminhos de Santiago

Imagem Catedral de Santiago de Compostela | © Lusa

Centro Nacional de Cultura propõe curso livre sobre os Caminhos de Santiago

O Centro Nacional de Cultura, em Lisboa, inicia na quarta-feira, 27 de abril, um curso livre de oito sessões sobre os "Caminhos de Santiago: a arte dos primeiros construtores - séc. XII-XV".

«O fascinante mundo das peregrinações medievais, com os seus monumentos, imagens, relíquias e relicários está diretamente relacionado com o fascínio dos homens desse tempo pelos poderes milagrosos dos santos», refere o texto de apresentação da iniciativa.

A romagem ao túmulo do apóstolo Tiago em Compostela, na atual Galiza, noroeste de Espanha, foi feita por crentes «de todos os estratos sociais (incluindo reis e rainhas)», tornando-se «a mais famosa das peregrinações, com um extraordinário sucesso a partir do século XI».

«Hoje parece ter recuperado muito do poder atrativo que antes tinha. Foram trilhados caminhos que atravessam países e, no seu percurso, construídos mosteiros, catedrais, igrejas, albergues, pontes», prossegue a nota introdutória ao curso.

Os espaços religiosos edificados ao longo das várias rotas «foram, não raras vezes, verdadeiros “laboratórios artísticos” onde arquitetos, escultores, pintores, ourives de várias origens e, eles próprios, em circulação pelos caminhos, experimentaram novas formas, novos temas, novas estéticas». 

Este curso aborda «temas relacionados com alguns dos principais monumentos medievais dos Caminhos de Santiago, procurando questionar o grau de investimento dos promotores na decoração dos exteriores e dos interiores, e as características identificadores de alguns artistas e oficinas, em esculturas, pinturas, ourivesaria e outro mobiliário litúrgico».

Coordenada por Carla Varela Fernandes e Paulo Almeida Fernandes, a formação assinalará as «principais iconografias (temas) e os seus significados, procurando desvendá-los, em particular nas obras de arte mais emblemáticas».

«Os participantes serão sensibilizados para a importância do desenvolvimento da arte produzidas nesses séculos iniciais e pujantes da formação dos Caminhos de Santiago (séculos XI-XIV) e da sua ligação estreita às correntes religiosas, às alterações socioeconómicas, mas também aos medos e desejos mais profundos do homem comum», explica o texto de apresentação.

Depois de na primeira sessão se refletir sobre «o fenómeno das peregrinações na Idade Média e a relevância do Caminho de Santiago», a par da formação das principais vias da peregrinação a Compostela, o curso dedica os cinco encontros seguintes às características mais notórias dos vários caminhos.

A sétima sessão é dedicada à catedral, enquanto que na última se falará das histórias, lendas e património artístico dos "Caminhos Portugueses".

Os encontros realizam-se às quartas-feiras, das 18h30 às 20h00, até 15 de junho, no Centro Nacional de Cultura.

 

Rui Jorge Martins
Publicado em 21.04.2016

 

 

 
Imagem Catedral de Santiago de Compostela | © Lusa
Os participantes serão sensibilizados para a importância do desenvolvimento da arte produzidas nesses séculos iniciais e pujantes da formação dos Caminhos de Santiago (séculos XI-XIV) e da sua ligação estreita às correntes religiosas, às alterações socioeconómicas, mas também aos medos e desejos mais profundos do homem comum
Relacionados
Destaque
Pastoral da Cultura
Vemos, ouvimos e lemos
Perspetivas
Papa Francisco
Teologia e beleza
Impressão digital
Pedras angulares
Paisagens
Umbrais
Evangelho
Vídeos