Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura
Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura - Logótipo
secretariado nacional da
pastoral da cultura

Bispo de Bragança-Miranda evoca José Rodrigues: «Um buscador autêntico de Deus na Arte»

Imagem D. José Cordeiro e José Rodrigues junto ao molde da "Anunciação a S. José", obra presente na catedral de Bragança | © Diocese de Bragança-Miranda

Bispo de Bragança-Miranda evoca José Rodrigues: «Um buscador autêntico de Deus na Arte»

Ao Mestre José Rodrigues
Um buscador autêntico de Deus na Arte

Ao tomar conhecimento da Páscoa eterna do Mestre José Rodrigues, um buscador autêntico de Deus na arte, dou graças a Deus pelo dom da sua vida e pelo rasto de beleza que legou. À família, aos amigos e a todos os buscadores da beleza, apresento as minhas sinceras condolências.

Quando há 5 anos conheci o Mestre José Rodrigues, surpreendeu-me e desafiou-me a «meter poesia e encanto nos espaços e nas liturgias da Igreja». Ele mesmo ajudou a este desiderato e ofertou marcas perenes na catedral de Bragança com tanta arte e beleza: a Pietà, os sete vitrais com as últimas sete palavras de Jesus na cruz, a anunciação a S. José, a imagem de S. Bento, padroeiro da Europa e da Diocese de Bragança-Miranda e ainda vários desenhos ao Bispo.

A arte é central na fé e na cultura, sendo o caminho para a transcendência pelo Bem, pela Verdade e pela Beleza. E, como disse o poeta e escritor italiano Tonino Guerra: «Não sei o que é a Arte. A Arte é uma coisa que nos faz companhia, uma coisa pobre que nos enriquece, embora se saiba que o mistério nunca é iluminado completamente». É também o próprio J. Rodrigues que disse: «não sou, procuro não ser, funcionário das artes». Dizer Deus de modo belo, aconteceu na sua expressão artística do desenho, do barro e do bronze acerca do mistério da encarnação e da redenção de Cristo, pelos “Cristos” e “para um altar” e muitas outras anunciações, a partir das quais podemos ainda perguntar como o salmista: «o que é o homem, para dele te lembrares?»

Existe um pouco de “Deus” na obra de José Rodrigues, que busca o coração da sabedoria e da “inocência”. Conheci-o na intimidade da sua casa, do seu ‘convento’, da sua família e na alegria dos amigos. Apreciei e estimei muito a sua simplicidade, bom humor, proximidade, amizade e humanidade tão bem expressas nas coisas belas da sua mestria.

Muito e muito bem-haja José Rodrigues!

 

ImagemD. José Cordeiro e José Rodrigues junto ao molde da "Anunciação a S. José", obra presente na catedral de Bragança | © Diocese de Bragança-Miranda

 

ImagemJosé Rodrigues | D.R.

 

☩ D. José Cordeiro
Bispo de Bragança-Miranda
Publicado em 11.09.2016

 

 
Imagem D. José Cordeiro e José Rodrigues junto ao molde da "Anunciação a S. José", obra presente na catedral de Bragança | © Diocese de Bragança-Miranda
Relacionados
Destaque
Pastoral da Cultura
Vemos, ouvimos e lemos
Perspetivas
Papa Francisco
Teologia e beleza
Impressão digital
Pedras angulares
Paisagens
Umbrais
Evangelho
Vídeos